Casagrande repete Caio e critica Santos por "caso Sánchez"

Yahoo Esportes
O comentarista falou sobre a situação dos três paulistas na Libertadores (Foto: Reprodução)
O comentarista falou sobre a situação dos três paulistas na Libertadores (Foto: Reprodução)

Questionado nesta terça-feira (28) na edição paulista do programa Globo Esporte se acredita em dérbi paulista nas quartas de finais da Libertadores, o comentarista Walter Casagrande disse considerar grande a possibilidade, mas ponderou que o classificado do duelo de volta das oitavas entre Corinthians e Colo-Colo em Itaquera dependerá do brilho dos dois meias de destaque dessas equipes: de um lado o corintiano Jadson e do outro o ex-palmeirense Jorge Valdivia.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

“O Corinthians não vem apresentando um futebol suficiente para garantir que vai passar à próxima fase, é um jogo igual. Perdeu lá, tem condições de fazer 1 a 0 e até 2 a 0 aqui, mas acho que vai passar pelos dois números 10, Valdivia e Jadson. São os dois jogadores que têm possibilidade de resolver a partida. Os dois times são muito parecidos, mas têm dois números 10 criativos que podem decidir a partida. Acho que passa por aí”, avaliou Casão.

Já em relação ao Palmeiras, o comentarista vê o alviverde em situação confortável para assegurar a vaga, após vencer o Cerro Porteño por 2 a 0 na ida, no Paraguai. “O Palmeiras já está. Vem jogando muito bem, ganhou de 2 a 0 fora e você vê o foco do Felipão. O Palmeiras está seguro, absurdo acontecer alguma coisa que possa tirar o Palmeiras das quartas de final”, opinou.

Casagrande repete Caio e critica Santos por “caso Sánchez”

A exemplo do que fez o colega de comentários Caio Ribeiro no Bem, Amigos!, Casagrande criticou o Santos pelo imbróglio jurídico do “caso Sánchez”, que nesta terça rendeu penalização aos santistas com a mudança do resultado da partida de ida contra o Independiente na Argentina, do empate por 0 a 0 obtido em campo a uma derrota por 3 a 0, imposta pela Conmebol, o que obriga o time da Vila a ganhar pelos mesmos 3 a 0 logo mais à noite, no Pacaembu, para disputar a vaga nos pênaltis ou por 4 a 0 para avançar no tempo normal.

“Nada é impossível. O que é impossível é errar desse jeito. Isso é impossível e inadmissível. Não tem cabimento não saber que o jogador tá suspenso. Tem que vasculhar. Contrata um jogador, tem que saber totalmente, tudo o que aconteceu com ele no passado”, afirmou Casão. “Não [pode confiar no sistema]. Claro que não. Tem que saber tudo. Isso não pode acontecer, é inadmissível”, acrescentou.

Apesar da difícil missão de vencer por três ou mais gols, o analista global acredita que o Santos possa conquistar o resultado. “É difícil, mas tem time para ganhar, tudo pode acontecer. O Santos tem um time bom e pode ser até que essa situação dê um gás a mais, uma raiva positiva: ‘Vamos mostrar para eles que nós podemos ganhar'”, analisou.

“Não acho que o Cuca trabalhou de um modo diferente. Quando surgiu essa possibilidade de suspensão e de a pena ser de 3 a 0 para o adversário, acho que já trabalhou a cabeça dos jogadores para tentar vencer de 3 a 0. Acho que já estava preparado. Santos vai entrar em campo com o apoio da torcida para virar. O campeonato é outro, mata-mata, vai ter um jogo só para passar, é outra competição, Copa Libertadores da América. É tudo diferente, já entra pilhado, não tem outro jogo, mas acho que o Santos tem capacidade”, reforçou.

Leia mais:
–  Conheça a história do ‘Príncipe’ do Olympique
–  Sidão ainda divide opiniões na diretoria do São Paulo
–  ‘Odiei o futebol’, diz Owen sobre o fim de sua carreira

Na Área com Nicola – Palmeiras se planeja bem para 2019

Leia também