Casagrande fala sobre 'alienação' nos jogadores atuais e destaca titular da Seleção Brasileira

Casagrande criticou ausência de psicólogo na delegação da Seleção Brasileira (Foto: Reprodução/TV Cultura)


Irreverente e forte em suas opiniões, o comentarista e ex-jogador Walter Casagrande Jr falou suas impressões sobre o comportamento dos atuais atletas de futebol. Em entrevista ao programa "Provoca", do jornalista Marcelo Tas, Casão ressaltou uma certa "alienação" dos jogadores diante da realidade da sociedade.

+ Casagrande retruca atitude de Neymar: lembre as tretas entre os dois

Perguntado sobre um possível distanciamento entre os torcedores brasileiros e a Seleção, Casagrande afirmou que aos poucos os jogadores vão se afastando das suas raízes e que isso resulta em uma perda de identificação.

- O Brasil hoje está em uma crise, muitas famílias não têm café da manhã, almoço e janta, desemprego altíssimo e os ídolos desses caras postam iate, lancha, mansão, carros importados e festas maravilhosas (...) O que eles tinham que fazer, além de ostentar, é se posicionar socialmente. Essas pessoas têm que sentir que aquele jogador que vai jogar a Copa do Mundo pela Seleção Brasileira tá preocupado com ele - destaca.

+ Casagrande revela ter trocado momento especial com a mãe por cocaína

Na sequência, o ex-jogador aponta o atacante Richarlison, do Tottenham, como um contraponto dos demais atletas de futebol.

- Quero dar o exemplo do Richarlison, esse garoto não esqueceu suas raízes, pelo menos até o momento. Ele se posiciona sempre quando é necessário (...) Ele não caiu nesse "giro" de se esquecer das duas origens - completa.

+ Casagrande projeta Copa do Mundo, revela time de infância e diz se pretende retornar para Globo

Ainda abordando a temática, Casagrande destaca ao jornalista diversos fatores na atual conjuntura da sociedade como fatores que potencializam esse fenômeno.

- Fica muito claro para mim que com o tempo muitos deles perdem a raiz, esquecem que a bola deu tudo para eles. Perder a raiz é uma coisa muito complicada para a formação da personalidade de uma pessoa. Os caras não são franceses, não são ingleses, não italianos, são brasileiros. Realmente, eles vivem, em uma sociedade em que vivem muito bem favorecidos, mas, eles nasceram aqui - disse o ex-jogador.

O ex-comentarista da TV Globo estará presente no Qatar, agora, representando a Folha de São Paulo e o UOL na cobertura da Copa do Mundo.