Casagrande diz que Paulistão no Rio é 'vergonhoso' e critica Bolsonaro: 'Permanece na estrada da morte'

LANCE!
·2 minuto de leitura

O comentarista Walter Casagrande, do Grupo Globo, criticou duramente a Federação Paulista de Futebol (FPF), por articular jogos do Campeonato Paulista em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, e a CBF. Ele definiu a postura de ambas como "vergonhosa" e também citou o comportamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação à pandemia do novo Coronavírus.

- Para mim, é uma situação vergonhosa a da Federação Paulista e da CBF. O futebol tem que entender que não é só as quatro linhas, que eles falam que estão seguras. No entorno do futebol, ninguém está seguro. A federação e a CBF só veem isso porque a preocupação deles é com o dinheiro, é econômica. (...) Não é questão se contamina ou não, é questão de solidariedade, de um país só. Nós estamos numa situação delicada, caótica, no país todo. Não tem para onde correr. Não dá para jogar futebol - disse Casão nesta noite no programa "Bem, Amigos!", do SporTV.

Leia também:

- Quando a principal liderança de um prédio, de um bairro e, principalmente, de um país, como é o presidente Jair Bolsonaro, quando uma liderança como aquela é totalmente destrutiva ao país, é uma liderança de terror, de morte. A estrada que o presidente Jair Bolsonaro pegou é uma estrada de morte, não dele, mas da população. Ele nunca virou para a estrada da vida. Ele permanece na mesma estrada, que é a da morte. Quando a liderança se comporta dessa maneira, uma grande parte das pessoas se comporta dessa maneira também, aí vai ter conflito daquelas que pensam na saúde, no bem... Aí fica difícil. Cada um puxa para um lado - criticou ele.

A FPF tinha anunciado nesta segunda-feira que iria respeitar a decisão do governo de São Paulo de paralisar as atividades esportivas até o dia 30. Porém, mais tarde, o Corinthians foi comunicado sobre a possibilidade de jogar em Volta Redonda.