Casagrande dispara contra Bola de Ouro de Messi: 'Como concorrer com um cara que não precisa fazer nada?'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Messi igualou feito de Pelé ao conquistar sétima Bola de Ouro (FRANCK FIFE / AFP)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Lionel Messi
    Lionel Messi
    Ao VivoHojeAmanhãx--|


Walter Casagrande, comentarista do Grupo Globo, discordou da sétima Bola de Ouro concedida a Lionel Messi. No seu blog no 'ge', o ex-jogador disse que o argentino pouco fez para ser dono da premiação, e destacou outros nomes que, segundo ele, mereciam mais que o craque do PSG.

Casagrande começou questionando a credibilidade da Bola de Ouro. O comentarista aponta que Mohamed Salah, Robert Lewandowski, N’Golo Kanté e Jorginho 'jogaram muito mais do que o Messi na última temporada'.

+ Veja a posição do seu time no Brasileirão!

- O jogador argentino não fez muito. Terminou a temporada com péssima performance no Barcelona, fez uma Copa América discreta, porque o torneio também é discreto, e ainda não convenceu no PSG. Ganhou a Copa América, mas colocá-la no mesmo peso da Eurocopa é um absurdo. E se classificar para a Copa do Mundo chegando em segundo na eliminatória é uma obrigação para a Argentina e para o Messi - ponderou.

Ele cita o caso de Lewandowski, que precisou 'vencer todos os títulos e ainda ser o artilheiro' para vencer Messi na disputa pela Bola de Ouro.

- Não é de hoje que isso acontece nesse prêmio. Fazer do Messi o melhor da temporada, ganhar a Bola de Ouro e ser o melhor da Copa América também dão uma grande valorizada para o prêmio e para a Copa do Mundo no Catar em 2022. Com certeza os outros concorrentes, se ganhassem, não dariam o mesmo impacto - afirmou Casagrande.

- Na última Copa, o Modric foi o Bola de Ouro, e o Mbappé ganhou como melhor jovem do Mundial. Eles chegaram à final, aí não tinha como não ser. Mas quem se lembra da Copa que o Messi fez aqui em 2014? Um desempenho muito discreto, sumiu na final. E, mesmo assim, foi eleito o melhor da Copa - continuou.

Por fim, Casagrande explica que o argentino é um 'gênio da bola' e um dos 'dez melhores da história'. Todavia, questiona as Bolas de Ouro concedidas em 2010 - quando, para ele, Iniesta era merecedor - e 2021.

- Para mim, agora foi novamente injusto, e não tenho nenhuma vergonha ou medo de dizer isso. Acho que o prêmio perde seriedade e imparcialidade dessa maneira. Como concorrer com uma cara que não precisa fazer nada, só entrar em campo e pronto, pouco importa se ainda jogue tão bem quanto antes? - concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos