Casagrande condena provocações ao final do Gre-Nal: 'Passou de todos os limites da ética'

·1 min de leitura

A vitória do Internacional sobre o Grêmio por 1 a 0 no último sábado foi marcada pelas provocações dos atletas Colorados e pela confusão entre os jogadores após o final da partida. O ex-atacante Walter Casagrande criticou as ações depois do jogo, dizendo que atos deste tipo são 'apenas para torcedores'.

- O que aconteceu no final do Gre-Nal de sábado passou de todos os limites da ética entre os jogadores de futebol. Patrick, do Internacional, foi muito mal com a provocação absurda e desrespeitosa com os adversários do Grêmio. Cânticos, provocações e gozações desse tipo são somente para torcedores. Pegar um caixão azul para provocar os rivais em situação delicada na luta contra o rebaixamento era óbvio que terminaria em violência - escreveu o comentarista em seu blog no portal 'GE'. 

Leia também:

- O comportamento de Patrick é condenável. Um profissional de futebol deve respeitar o adversário e não misturar com o que os torcedores fazem. Isso, por sinal, já vem acontecendo há um tempo com outros jogadores e poderia ser evitado - acrescentou o ex-atacante. 

Casagrande também comparou as provocações que aconteceram no Gre-Nal com as implicações que ocorriam no passado, na época em que era jogador. 

- Na minha época, os jogadores apostavam com os rivais a doação de cadeiras de rodas para instituições. Claro, também havia provocação, mas dentro de um limite. Prometer fazer dois gols ou que vai golear são situações respeitáveis entre os jogadores. Dadá Maravilha dizia que iria fazer gol e até dava nomes para eles, sempre com entrevistas em tom de brincadeira. Nunca houve briga em campo por isso - completou Casagrande. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos