Casagrande aproveita minuto de silêncio para "homenagear" Chuck Berry em jogo do Corinthians

Juliana Damasceno

Roqueiro assumido, Walter Casagrande não deixou passar a morte do roqueiro norte-americano Chuck Berry durante o jogo que resultou na segunda derrota do Corinthians no campeonato paulista, para a Ferroviária.

O minuto de silêncio – dedicado a um policial que morreu durante um assalto a um carro forte numa estrada próxima a Araraquara durante esta semana – foi citado por ele e por Cleber Machado. Mas o comentarista aproveitou o jogo morno, até então, para dedicar o “seu” minuto de silêncio ao pai do rock’n’roll.

– Chuck Berry era mais do que um músico, era a história da música. Esse minuto de silêncio também foi por ele e pra ele – completou. E também não teve muito mais o que comentar, ao longo do jogo que teve gol irregular e pouquíssimos lances importantes.

O Corinthians, já praticamente classificado, perdeu para a Ferroviária – que tem a pior campanha do campeonato regional – por um a zero.