Casa de Cristiano Ronaldo já foi praticamente uma arena de competição, diz Nani

Goal.com

Quando Nani chegou ao Manchester United, as expectativas sobre seu futebol já eram altas. Afinal, os Red Devils já tinham outro jovem português, da mesma geração, que começava a mostrar o potencial que tinha para ser um dos melhores do mundo: Cristiano Ronaldo.

Assim, o ponta, contratado por 22 milhões de euros do Sporting, mesma equipe que revelou CR7, precisaria lidar com as comparações sobre um jogador que havia sido escolhido o melhor jovem do mundo por duas ocasiões e estava a um ano de conquistar sua primeira Bola de Ouro. Para dificultar ainda mais a adaptação, se juntaria a um clube considerado, por muito tempo, como um dos melhores do planeta.

Em muitos casos, os primeiros meses de um jogador jovem em um clube podem ser determinantes para seu futuro. Nani, com 21 anos, chegando em Old Trafford, escapou disso: foi "adotado" pelo próprio Cristiano.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Desta maneira, em seus primeiros momentos no United, Nani dividiu casa com CR7 e o brasileiro Anderson, também recém-chegado no clube. 

"Foi fácil de me conectar com eles, Anderson e Cristiano," afirmou Nani em entrevista à Goal. "Quando nós chegamos em Manchester, Cristiano ofereceu sua casa para nós vivermos por alguns meses, antes de nos estabelecermos. Foi a melhor coisa que me aconteceu, ele nos ajudava com o inglês, regras de trânsito, e tudo mais."

"Ele estava nos ensinando, sim, mas, ao mesmo tempo, era quase uma 'arena de competição' lá dentro. Nós tinhamos tudo: uma piscina, mesa de ping-pong, quadra de tênis. Jogávamos todos os dias. Era uma competição para descobrir o melhor, e, ao mesmo tempo, melhorar nosso condicionamento físico. Não percebmos na época, mas isto nos fez melhor."

Durante suas oito temporadas em Manchester, Nani conquistou quase tudo: foram quatro títulos da Premier League, duas Copas da Liga, quatro Community Shields, uma Liga dos Campeões e um Mundial de Clubes. Tudo sobre a tutela de Alex Ferguson, nos últimos anos de sua carreira como treinador de futebol.

Nani Cristiano Ronaldo GFX
Nani Cristiano Ronaldo GFX

"O jeito que ele comandava o clube, o vestiário, impunha um respeito natural, todo muito concordava com o que ele tinha para falar." Nani falou sobre Ferguson. "Todo mundo acreditava em suas palavras. Ele falava: 'amanhã vamos ganhar de 5 a 0, mas precisamos fazer isso, aquilo...se não fizermos, vamos perder.' E ele parecia saber qual seria o resultado."

A maior habilidade de Ferguson como treinador, para muitos de seus ex-jogadores, era fazer com que todos os membros do elenco se sentissem envolvidos no plano de jogo. Todo jogador, do centroavante titular até a jovem promessa da base, sabia o que era representar o Manchester United. Sentiam a pressão, a responsabilidade e o peso de vestir a camisa dos Red Devils.

Pelo seu sucesso, Ferguson é um dos treinadores mais debatidos da história. Todos os seus ex-jogadores tem alguma história com ele para contar. Nani, é claro, não poderia ser diferente.

"Park Ji-Sung não havia jogado um minuto em três meses, antes de um jogo importante contra o Chelsea." lembrou Nani. "Ferguson colocou ele em campo e falou: 'Sabe porque eu estou colocando Park em campo? Ele o único que pode fazer a função que eu preciso. No final, Park foi o melhor em campo e fez o gol da vitória. Foi lindo, todos ficaram surpresos."

Desta maneira, quando Ferguson se aposentou do futebol em 2013, Nani não ficou muito tempo no Manchester United. Mesmo assim, o português tem um palpite sobre a razão da crise do clube.

"É a mentalidade dos jogadores. Os jogadores mais experientes ajudavam os mais novos, estavam todos no mesmo nível, nos ensinando e nos motivando. Assim, quando precisava, nós estávamos prontos para assumir a responsabilidade. O United de hoje não tem mais isso."

Leia também