Carlos Germano planeja o futuro da camisa 1 do Vasco: soluções caseiras

Felippe Rocha
LANCE!


A posição de goleiro do Vasco, com Fernando Miguel de titular, não chega a ser um dos muitos problemas da equipe. Antes dele, Martin Silva foi o dono da camisa 1 por cinco anos. Só que esse período de estabilidade, aliado a esporádicas soluções, como Fernando Prass, se mistura a um período que vai para quase 20 anos sem o Vasco revelar goleiros que dispensem investidas da diretoria ao mercado. Carlos Germano quer acabar com isso.

Hoje preparador de goleiros, ele mesmo foi revelado em São Januário e reinou na posição nos anos 1990. Depois dele, Helton se destacou, também ganhou enorme carinho da torcida, mas foi vendido em 2002. Desde então, a escola vascaína de goleiros não revelou algum que solucionasse.

- Jordi, Lucão e Alexander podem ter certeza que vão ter apoio total. Aconteceu comigo, a torcida já me conhecia das preliminares. Os meninos estão no caminho certo. Espero que o Vasco, já conversei com o Acácio e é um uma meta, tenha esses rapazes no gol e o torcedor olhe lá para trás e diga: "Que tranquilidade!" Os caras são firmes demais - valorizou Germano, em entrevista recente à Vasco TV. E completou:

- É uma conversa que já tive com eles, ano passado. Desde a saída do Helton não temos um goleiro feito na base. O Vasco formava em casa, sempre foi dessa forma. Foi Mazzaropi, Acácio (este, na verdade, passou por outros clubes, já como profissional, antes de chegar ao Vasco, ainda jovem), Helton... eu também tive oportunidade. Esses rapazes estão no caminho certo. A torcida apoia, nunca duvidei dessa ajuda. Essa rapaziada está num caminho muito bom - garante.

Fernando Miguel é o atual titular. Mas as três sombras que ele tem hoje são formadas em São Januário. Jordi, 26 anos; Alexsander, 21; e Lucão, 19.









Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também