Carla Zambelli afirma ter sido ameaçada de expulsão pelo PSL e esnoba proibição do partido: ‘Minha fidelidade é ao Bolsonaro’

Bernardo Mello
·1 minuto de leitura
A deputada federal Carla Zambelli fez live com Marcelo Crivella
A deputada federal Carla Zambelli fez live com Marcelo Crivella

Mesmo após um alerta do PSL para que seus integrantes não fizessem campanha para candidatos de outros partidos, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) participou na noite desta segunda-feira (26) de uma live com o prefeito do Rio, Marcelo Crivella (Republicanos), candidato à reeleição, que tem entre os adversários o deputado Luiz Lima, do PSL.

Anunciada como “entrevista” sobre “pandemia de coronavírus e vacinação”, a live contou com demonstrações de apoio de Zambelli a Crivella e também ao candidato a vereador Anderson Bourner, do Republicanos, integrante de um movimento de rua fundado pela deputada em 2013. No último dia 21, o diretório paulista do PSL havia emitido uma recomendação aos integrantes avisando que a infidelidade partidária configura “falta grave”.

Na live, Zambelli disse ter recebido “uma ameaça do PSL” de que poderia ser expulsa do partido, tendo o mandato cassado por infidelidade partidária. A deputada também disse ter se disponibilizado para fazer uma live em apoio a Luiz Lima, mas alegou não ter sido procurada por ele, seu colega no Congresso Nacional.

— Minha fidelidade é ao Bolsonaro, independentemente de partido — afirmou a deputada federal na live.

Crivella disse que apoiará Jair Bolsonaro na campanha de 2022 e referiu-se à sua própria reeleição como o “primeiro passo” para uma eventual recondução do presidente da República. Bolsonaro foi eleito em 2018 pelo PSL, mas deixou a sigla no ano passado e está sem partido.