Carioca: datas serão definidas depois de aval das autoridades; palcos da reta final são designados


O torcedor terá de esperar um pouco mais para ver a bola rolando no Campeonato Carioca. O Conselho Arbitral ocorrido de forma remota entre o presidente da Ferj, Rubens Lopes, com os clubes definiram neste sábado que a retomada só acontecerá depois que a entidade conseguir que as autoridades aprovem que o protocolo "Jogo Seguro" seja utilizado na 2ª fase da flexibilização do isolamento social na cidade.

Um novo Arbitral será convocado para definir as datas assim que o governador Wilson Witzel der aval ao protocolo para os jogos. O médico do Flamengo, Marcio Tannure, o médico do Vasco, Marcos Teixeira, e o médico do Bangu, Rômulo Capello, detalharam os itens do que deve ser feito a cada partida.

A reunião designou os estádios onde as partidas devem ser preferencialmente realizadas na retomada em meio à pandemia do novo coronavírus: Maracanã, São Januário e Nilton Santos. A exceção pode ser para duelo entre equipes de menor investimento, que só acontecerá em outros locais desde que sejam apresentadas todas as condições sanitárias. A reta final do Estadual será toda sem público.


Outras medidas estabelecidas no Arbitral foram em relação ao protocolo de cada jogo. O teste negativo para a COVID-19 dará aval para a entrada em estádio (inclusive para profissionais de comunicação). Além disto, cada delegação poderá ter no máximo 40 pessoas e para o acesso ao vestiário haverá 32 passes.

No banco de reservas, serão permitidos apenas oito jogadores e cinco membros da comissão técnica. A chegada ao local da partida terá de acontecer obrigatoriamente até uma hora antes do horário do confronto.

Não está descartada a realização de duas partidas no mesmo dia em um local, para aproveitar toda a equipe e diminuir os riscos sanitários. A medida está sob análise.

O retorno foi definido por maioria de votos. O Botafogo, representado pelo mandatário Nelson Muffarej, e o Fluminense, que teve como representante o coordenador administrativo do Fluminense, Marcelo Penha, mantiveram a oposição à volta às atividades.

De acordo com a Rádio Globo, ambos os clubes frisaram que o Rio de Janeiro está chegando ao pico da pandemia. Rubens Lopes rebateu, dizendo que estão em acordo com as autoridades do Rio de Janeiro, as autoridades sanitárias, além de ressaltar que o colegiado deveria ser respeitado. O Vasco, representado pelo mandatário Alexandre Campello e o Flamengo, representado pelos dirigentes Bruno Spindel e Cacau Cotta, além dos demais clubes, votaram para que siga a retomada de treinos.

A retomada do futebol no estado entrou em pauta no dia seguinte ao decreto publicado pelo governador Wilson Witzel sobre a flexibilização de uma série de medidas restritivas impostas pela pandemia do novo coronavírus. Entre os setores liberados na reabertura gradual da economia a partir deste sábado está a prática de esportes de alto rendimento. Porém, há a restrição para as partidas sejam realizadas de portões fechados.


















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também