Carioca-2023: times de menor investimento se preparam na tentativa de 'aprontar' na competição


A luta por roubar a cena e desbancar os favoritos do Carioca move as equipes de menor investimento novamente na edição de 2023. De jovens talentos a figuras conhecidas que querem voltar a ganhar projeção, sobram sonhos entre as equipes na competição.

Um deles entra em campo nesta quinta-feira: o Audax mede forças com o Flamengo no Maracanã, às 21h30. O confronto é adiantado da quinta rodada da competição. O LANCE! detalha como chegam os clubes de menor investimento neste ano.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

+ Carioca vai estrear. Saiba quando serão as partidas clicando aqui!

AUDAX

Higor Leite
Higor Leite

Higor Leite: expectativa do Audax (Gustavo Oliveira/Londrina Esporte Clube

O Audax passou por uma reformulação completa nesta temporada. Há apenas seis remanescentes de 2022, entre eles o lateral-direito Lucas Mota. Entre as novidades, estão o lateral e o volante Miticov, que deixou o Cruzeiro recentemente, e Jackson Caucaia, meio-campista com passagens por Atlético-MG, Vasco, Fortaleza e Náutico.

Outra esperança recai sobre Higor Leite, revelado no Fluminense e que perambulou por Volta Redonda, Londrina, Goiás, Paraná até desembarcar no Botafogo. O meia veio do futebol da Armênia, onde atuou pelo Pyunik diretamente para o clube de Angra dos Reis.

- Aproveitamos uma base que veio na parceria com o Audax de São Paulo e quisemos incrementar com atletas como o Higor Leite. Com a preparação forte que tivemos. Sabemos que a competição é de tiro curto, aqui você vai do céu ao inferno muito rapidamente. Temos o exemplo do Nova Iguaçu no ano passado, que teve quatro vitórias seguidas e saiu da lanterna para brigar pela Taça Rio - disse ao LANCE! o técnico Júnior Lopes.


BANGU

Caio Monteiro - Bangu
Caio Monteiro - Bangu

Caio Monteiro é a esperança de ataque banguense (Divulgação / Bangu)

A obstinação do Bangu é manter um planejamento a longo prazo sob o comando do técnico Felipe e progredir após um 2022 no qual esteve próximo do rebaixamento no Carioca. Para isto, o alvirrubro deposita as fichas na manutenção de sua espinha dorsal e recorre principalmente a sangue jovem que têm vivências em clubes de maior projeção no Rio de Janeiro.

O Fluminense cedeu o zagueiro Davi Alves, o volante Edinho, o atacante Gabryel Martins. Volante do sub-20 do Botafogo, Paulo Henrique também desembarcou em Moça Bonita por empréstimo. O Vasco cedeu ao clube Lucas Oliveira, atacante que retorna ao seu clube de origem. Outra promessa

Para o setor ofensivo, chegarão dois jogadores para tentarem reafirmação no futebol. Com longa trajetória pelo Vasco e passagem por Joinville e Nova Venécia, Caio Monteiro é outra cara nova banguense. Marquinhos Calazans, que iniciou seus passos no futebol no Fluminense, também chega a Moça Bonita.

- As indicações para as contratações era de atletas de qualidade, por coincidência a maioria jovens promissores. Não foi uma opção - garantiu o presidente do Conselho Diretor do clube, Jorge Varela.

O papel de referência da equipe caberá a Renê Júnior. Meio-campista com passagens por Ponte Preta, Corinthians e, mais recentemente, Chapecoense, tem uma responsabilidade e tanto neste Estadual.

- O Felipe precisava de um jogador experiente para dar equilíbrio emocional ao time, fato que não ocorreu no elenco que disputou a Série D em 2021 e o carioca de 2022. Foi quando surgiu a indicação do Renê Júnior. Ele foi procurado para conversa, apresentamos uma proposta e foi aceita pelo atleta. A falta de um jogador mais experiente pode ter sido uma das causas que culminaram com uma campanha abaixo do esperado - afirmou Varela.


Jorge Varela demonstra confiança no trabalho de Felipe para esta temporada.


- O Felipe é um treinador que trabalha a médio prazo, com toda a certeza faremos uma campanha bem melhor do que as dos dois últimos anos - e destacou:

- Nosso planejamento foi elaborado para buscarmos uma boa colocação no Estadual, consequentemente com a classificação para a Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro série D de 2024 - finalizou.


BOAVISTA

Leandrão - técnico do Boavista
Leandrão - técnico do Boavista

Leandrão tentará conduzir o Boavista a uma campanha de sonho (Eduardo Peralta/Boavista

O Boavista mantém suas expectativas na base que disputou o Estadual do ano passado. Além de Leandrão seguir no comando da equipe, nomes como Diogo Rangel e Kadu estão confirmados.

Elivelton, que passou pelo Fluminense e rodou por Fortaleza e Santa Cruz, também permanece no clube de Saquarema. No setor ofensivo, a esperança continua a ser Matheus Alessandro.

MADUREIRA

Treino do Madureira
Treino do Madureira

Madura treina forte e sob nova direção: Felipe Arantes vai para equipe principal (Wanderson Colino/MEC

O Madureira se renovou para a disputa do Campeonato Carioca de 2023. Após seu período como técnico do sub-20 no clube, Felipe Arantes foi alçado a comandante da equipe principal.

A lista de reforços traz um nome conhecido no futebol carioca: Bruno Cosendey trocou o futebol vietnamita (onde defendia o Ho Chi Minh City) pelo Tricolor Suburbano. Além da chegada do meio-campista, há esperança em dois retornos.

Após passagens por Criciúma e Sampaio Corrêa, o atacante Luiz Paulo volta a Conselheiro Galvão com a missão de repetir o bom desempenho no clube na temporada de 2021. Debaixo das traves do Madura, a responsabilidade recairá sobre Dida. O goleiro regressa depois de uma passagem pelo Volta Redonda.




NOVA IGUAÇU

Nathan Palafoz - Nova Iguaçu
Nathan Palafoz - Nova Iguaçu

Nathan Palafoz: de volta às origens (Bernardo Gleizer/NIFC

O Nova Iguaçu também decidiu fazer mudanças no seu elenco de olho no Carioca de 2023. O Laranja da Baixada apostou no retorno do experiente goleiro Anderson Max, que tem passagens por Novo Hamburgo, Boa Esporte, Bragantino e recentemente atuou no Sampaio Corrêa-RJ.

O clube também trouxe do futebol paranaense uma dupla de volantes que, curiosamente, adota o mesmo apelido: Léo Índio e Igor Índio. O meia Marquinhos, por sua vez, chegou sob muita expectativa. A mescla de jogadores que rodaram por clubes de menor investimento de outros estados com remanescentes do ano anterior dita o elenco.

Entre os destaques do Nova Iguaçu está Nathan Palafoz. Revelado pelo clube, o atacante disputou a Série B do ano passado pelo Avaí. Depois de muito tempo, ele está volta ao Nova Iguaçu por empréstimo do Corinthians.

Prestes a iniciar mais um ano à frente do Nova Iguaçu, o técnico Carlos Vitor fala sobre o novo desafio.

- Você passa a apostar em atletas aos quais têm uma bagagem, uma cancha em equipes de menor investimento, entende que realmente está se fortalecendo. Mas sabemos como é o futebol. Tudo se resolve em campo. Essa opção você faz para buscar dias melhores. Aí, passa a aumentar dias melhores. Independentemente do quanto investiu. Quando a bola rola, as cobranças existem, as dimensões existem... - afirmou.

O treinador é categórico ao apontar como o Laranja da Baixada enxerga a competição.

- A nossa competição, na verdade, não é contra equipes de maior investimento. É contra equipes de menor investimento. Agora, se dentro da competição, conseguimos colher bons resultados, isso é muito importante. Torna-se um diferencial quando a gente consegue pontuar contra uma equipe de grande investimento. Colhemos coisas boas lá na frente em relação à classificação, colocação - garantiu.


Carlos Vitor anseia por um Nova Iguaçu em ascensão.

- Fizemos dois anos muito consistentes (a equipe foi sexta em 2021, quinta em 2022 na Taça Guanabara além, no ano passado, ter sido finalista da Taça Rio e se classificado para a Copa do Brasil de 2023 via Estadual). Podem esperar o mesmo de sempre, o que a gente fez, lutou para conseguirmos atingir o que nós atingimos. Nossa essência é uma equipe disciplinada, organizada, que vai buscar sempre bons resultados dentro da sua estratégia, dentro do entendimento de passo a passo, degrau por degrau e quando a bola rolar, teremos a resposta - finalizou.

PORTUGUESA

Reginaldo - Fluminense
Reginaldo - Fluminense

Reginaldo é uma das novidades da Lusinha (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)

A Portuguesa também recorreu a jogadores com rodagem para ir bem no Carioca de 2023. A lista de reforços trouxe nomes conhecidos do futebol carioca, como o zagueiro Reginaldo, que defendeu o Fluminense, o meio-campista Fernandes e o lateral-esquerdo Yuri, ambos com passagem pelo Botafogo.

Porém, o clube mostrou que ambiciona um pouco mais no mercado. Para o ataque, chegaram o veterano Edson Cariús, credenciado por passagens no Fortaleza, CRB e Ferroviário-CE, e Jean Carlo, que atuava desde 2016 no Operário-PR. No meio, desembarcou Vinícius Kiss, que tem vasta trajetória defendendo clubes de Série B.

Também continuam na equipe nomes como Joazi, Cafu e Emerson Carioca.

O treinador é velho conhecido da casa. Felipe Surian tem uma missão e tanto nas mãos.

- O desafio é fazer um campeonato tão bom quanto a gente fez em 2021. Mais importante do que repetir aquele ano, quando chegamos às semifinais, é fazermos sempre jogos competitivos - afirmou.

O comandante vê com bons olhos a chegada de reforços para a competição.

- É importante. Ao trazermos atletas com essa experiência maior, agrega mais força e dá um pouco mais de segurança ao elenco para os jogos difíceis que vamos encarar, principalmente contra equipes grandes - destacou.

Felipe Surian abordou o contraste entre os times de menor investimento e equipes de ponta.

- Sabemos que Botafogo vêm recebendo mais aporte. O Flamengo havia saído na frente alguns anos atrás... Cabe a nós sabermos ser competitivos sempre, independentemente do rival - frisou.

RESENDE

Resende - Sandro Sargentim
Resende - Sandro Sargentim

Sandro Sargentim segue no comando do Gigante do Vale (Divulgação/Resende

A confiança nas suas categorias de base continua a ser a tônica do Resende neste Estadual. Nomes como o goleiro Jefferson Luis, o volante Medina, os meias Zizu e Igor Bolt e os atacantes Kaique e Bismarck permaneceram no clube.

Entre as novidades, há o goleiro Victor Brasil, revelado pelo Coritiba e que passou por clubes como Angra dos Reis, Portuguesa e Americano, chega ao Gigante do Vale depois de defender o Brasil de Pelotas. Para o setor ofensivo, a expectativa recai sobre Léo Itaperuna, com vasta passagem pelo futebol paranaense e que defendeu o São Gonçalo.

O técnico Sandro Sargentim não titubeia ao falar no sonho da equipe na competição.

- O primeiro objetivo é solidificar a equipe para disputa com nossos concorrentes e brigar pelo título da Taça Rio. Estamos preparados para brigar por uma vaga na Série D. Mesmo tendo perdido 11 jogadores, tentamos dar uma cara para a equipe - afirmou.

O comandante reconhece que há desafios especialmente nestes primeiros meses.

- A gente não tem muito tempo. São cinco jogos em 15 dias. Por isso, fizemos uma temporada com oito semanas de trabalhos, cinco jogos-treinos. A gente espera engrenar bem - garantiu.

Ao projetar a partida com o Fluminense, o comandante apontou os obstáculos que tende a ter pela frente.

- É um adversário muito forte, de Libertadores, tem um técnico fabuloso que é o (Fernando) Diniz. Nos empenharemos para buscar pontuar com um adversário de tamanho nível - disse.

Em seguida, projetou os confrontos contra equipes também de menor investimento.

- São adversários de nível, bem treinados e temos de encarar essas partidas sempre respeitando cada um deles - disse.

VOLTA REDONDA

Wellington Silva - Volta Redonda
Wellington Silva - Volta Redonda

Wellington Silva renovou com o Voltaço (André Moreira/Volta Redonda F.C.

O Volta Redonda se esmera para apagar a péssima impressão deixada no Carioca de 2022, quando amargou um rebaixamento. Para isto, não pestaneja em anunciar contratações de renome.

Lateral-esquerdo com passagens por Botafogo, Grêmio, Cruzeiro e América-MG, Gilson é um dos veteranos que chegam ao Voltaço. Para o meio, a equipe aposta em Sandro Silva, que rodou por Palmeiras, Botafogo, Internacional e Vasco.

A dupla se junta ao lateral Wellington Silva (que defendeu Flamengo, Fluminense e Boavista) e ao ídolo do clube, Bruno Barra. De acordo com o técnico Rogério Correia, todos eles têm um grande desafio.

- Eles vêm com uma bagagem para passarem aos jovens jogadores. Todos os quatro vão desempenhar o papel de líderes no nosso elenco. As permanências do Wellington e do Barra ajudarão também, pois conhecem a rotina do Volta Redonda e vão ajudar quem chega a se sentir à vontade aqui - disse.

O comandante exaltou a forma como o time da Cidade do Aço se preparou.

- Tivemos quatro bons amistosos, estamos com uma equipe bem sólida e muito confiantes.

Correia rechaçou que o Volta Redonda ostente o posto de "favorito" entre os times de menor investimento.

- Por mais que a gente tenha ido bem na Série C, temos de ficar em alerta para o Carioca que fizemos no ano passado. Voltamos de um rebaixamento, foi bem complicado o ano passado. Temos de aprender com os erros e ficar atentos. Por isso a preparação foi bem forte - destacou.