Carille quer evitar pendurados “tirando o pé” em Campinas

O técnico Fábio Carille deixou o estádio de Itaquera preocupado com os oito jogadores pendurados que tem para a disputa do Campeonato Paulista, mas já fez questão de tranquilizar os atletas a respeito do tema. Por isso, na reunião após a partida e na reapresentação do elenco, nesta terça-feira, ele e a comissão técnica já deixaram claro aos jogadores a importância de não se preocuparem em excesso com a possibilidade de perderem o segundo jogo da final do Campeonato Paulista.

Para o embate deste domingo, às 16h (de Brasília), no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, só não estão com problema de cartão o goleiro Cássio e, curiosamente, a dupla de zaga formada por Pablo e Balbuena. O restante dos atletas que formam a já estabelecida formação titular (Fagner, Guilherme Arana, Gabriel, Maycon, Jadson, Rodriguinho, Romero e Jô) perderia o segundo duelo, em Itaquera, se levasse um amarelo no jogo de ida.

Consciente da importância de manter em campo uma base que correspondeu quase sempre que foi exigida, Carille confia na capacidade dos atletas em manter um jogo sem a necessidade de faltas para amarelo. Se isso for necessário, porém, o treinador não quer que os comandados deixem de entrar com a força necessária em uma jogada para evitar o cartão.

“Acho que tem que esquecer esse lance, jogador entrar com o pé atrás pode prejudicar muito a participação dele”, explicou o zagueiro Pablo, um dos poucos livres da condição. Para ele, os companheiros terão de administrar com cuidado a situação para não algum lance específico na primeira final ou o segundo jogo inteiro.

“O jogador que está pendurado vai ter que saber lidar com isso. Não pode pensar nisso, eu não pensaria porque às vezes isso pode atrapalhar o atleta. O que a gente tem que fazer é chegar na manha para não levar o terceiro amarelo para o próximo jogo”, continuou o jogador.

No que depender das estatísticas, porém, o Timão terá um problema: com 37 cartões, o clube é o quinto que mais recebeu advertências entre os 16 participantes do Paulista. Pode se vangloriar, porém, de ser o semifinalista mais disciplinado, diante justamente da Ponte Preta, agremiação que mais levou amarelos, com 43. Gabriel, com seis cartões, e Jadson, com cinco, são os nomes mais indisciplinados no elenco, ainda sem cartões vermelhos na temporada.