Carille lamenta ausências e deixa função de centroavante “aberta”

O técnico Fábio Carille já havia deixado claro que não queria poupar nem um jogador sequer para a sequência de mata-matas do Corinthians, mas uma conversa com o departamento médico forçou o descanso para Jadson e Jô, que não enfrentam o Internacional, nesta quarta-feira, no Beira-Rio, pela quarta fase da Copa do Brasil. Reconhecendo a necessidade das mudanças, o treinador lamentou bastante não poder contar com seu camisa 7 e não definiu quem será a referência no ataque.

“Faz uma falta muito grande, é muito ruim para o técnico mudar as características da sua equipe. Mas é necessário neste momento, pensando na semana. A formação é a mesma, um 4-2-3-1, Às vezes 4-1-4-1. Se for o Clayton na frente, mais rápido, Romero, mais pivô. Não é legal, mas muito necessário nesse momento”, comentou o comandante.

No treinamento realizado pela equipe nesta terça-feira, a primeira opção observada por ele foi Clayton, curiosamente o dono da camisa 9 na numeração fixa corintiana. Ele ficou como referência enquanto Romero estava aberto pela direita. Marquinhos Gabriel foi o nome na esquerda e Rodriguinho se estabeleceu como único armador. Depois, já na parte final, Clayton e Romero trocaram de posição.

“Clayton fez muito essa função no Figueirense, é um jogador que não fica na área, vem preencher o meio-campo. Romero é mais pivô. Trabalhei essas duas situações, e vamos ver como o jogo se apresenta para colocá-los melhor em campo”, disse Carille, que já viu Romero diversas vezes ser escalado como centroavante, principalmente na temporada passada, sem grandes resultados.

“Treinamos duas situações ali, podendo variar durante o jogo. Fica uma equipe mais leve e de contra-ataque. Vamos começar marcando lá em cima, mas quando marcar embaixo, vamos trocar passes simples para chegar com velocidade à frente”, explicou o treinador, que espera poder contar com os suplentes de Jô já no final de semana, na partida contra o São Paulo, às 19h (de Brasília) do domingo, no Morumbi.

“Não tinha nada pré-definido na programação, foi decidido ontem (segunda-feira). Como o Jô se apresentou com dores no adutor, temos de ter muito cuidado, atleta com mais de 30 anos. Somamos tudo e vimos. Kazim e Carlinhos ainda procurando forma física melhor, não vão ser relacionados. Mas o Kazim, para domingo, com certeza vai estar entre os 23”, concluiu Carille, que já trata como certa a volta de ambos frente ao Tricolor..