Carille gosta de 0 a 0 com Botafogo-SP, mas admite erros do Corinthians

O técnico Fábio Carille negou que tenha armado o Corinthians com a intenção de assegurar um empate com o Botafogo-SP, neste sábado, em Ribeirão Preto. A sua equipe, no entanto, mostrou muito pouco talento e disposição ofensiva e não foi além de um 0 a 0 no jogo de ida das quartas de final do Campeonato Paulista.

“O resultado é bom. Mas falar que fiquei feliz, não. A gente veio buscar mais. O time pecou com a bola nos pés, na saída de jogo. Melhorou no segundo tempo, mas precisava melhorar ainda mais”, analisou Carille, que reencontrará o Botafogo-SP no dia 9 de abril, em Itaquera. Antes, na quarta-feira, o Corinthians receberá a Universidad de Chile, mas pela Copa Sul-Americana.

Para os comandados de Carille, o empecilho para o time se sair melhor diante do Botafogo-SP foi o gramado do Santa Cruz. Os laterais Fagner e Guilherme Arana reclamaram das condições do campo em Ribeirão Preto, enquanto o centroavante Jô, um dos que mais se movimentaram no ataque, lamentou a forte marcação adversária.

Carille já esperava um jogo truncado. “Hoje, ninguém esconde nada de ninguém. Eles fizeram o mesmo contra São Paulo e Palmeiras”, disse o treinador, que não conseguiu armar uma estratégia para superar o Botafogo-SP. “A gente perdeu confiança quando tentou sair para o jogo duas vezes, errou na frente da área e deu os contra-ataques.”

Dívida

O Botafogo-SP é um adversário especial para Fábio Carille, que passou boa parte da sua vida em Sertãozinho, cidade vizinha de Ribeirão Preto, e defendeu o clube do interior em 2001, enquanto jogador. Nem todas as suas lembranças daquele período, contudo, são positivas.

“Fui jogador do Botafogo e fiz muitos amigos aqui. Só fico um pouquinho chateado porque não recebi o que me devem até hoje. A gente fica muito chateado com essas coisas, mas sabe que acontece no futebol. O gostoso são os amigos que fazemos”, comentou o técnico do Corinthians.