Carille e Sampaoli são melhores que os times que eles comandam

Yahoo Esportes
Junior Urso disputa bola com Jean Mota, no bom clássico de Itaquera. Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press
Junior Urso disputa bola com Jean Mota, no bom clássico de Itaquera. Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Estive na Arena do Corinthians, para trabalhar em Corinthians e Santos. Voltei a ficar no nível do gramado, atrás do gol à direita das cabines de imprensa. Naquela posição, você tem uma boa noção dos posicionamentos defensivos e ofensivos.

O clássico já tinha o atrativo do “confronto” entre Carille e Sampaoli. Parece claro que Carille queria derrotar Sampaoli, irritado com os fartos elogios ao argentino, desde que a temporada começou. E trabalhou para isso, fazendo o Corinthians ter sua melhor atuação no ano.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Vi um Corinthians incomodando o Santos, na sua melhor característica, marcando forte e evitando o toque de bola santista na saída detrás. O Corinthians teve três chances de gols, aproveitando retomadas de erros de passes do adversário. Victor Ferraz demorou para entrar no jogo e Clayson e Sornoza comandaram as ações. No meio-campo, Alison e Jean Lucas estavam perdidos e não conseguiam jogar, batidos por Júnior Urso e Ralf. Fagner e Pedrinho faziam dois-um sobre Felipe Jonathan, levando vantagem pela direita. O Santos não criou praticamente nada.

Na volta do intervalo, Sampaoli sacou Alison e Jean Lucas e lançou Rodrygo e Cueva. Abriu o time, ajustou o meio-campo e viu o Corinthians deixar espaços para os contra-ataques. A partida cresceu com o Santos saindo rápido em bolas longas e o Corinthians respondendo com algumas alternativas. Victor Ferraz e Felipe Jonathan melhoraram, guardando mais suas poisções. O segundo tempo foi mais do Santos, com a bola do jogo nos pés de Cueva, afobado na tentativa de encobrir Cássio, após bola entregue pelo goleiro. Foi uma pena ter terminado 0 a 0. Os 44 mil torcedores, mais os milhares que assistiram em outros lugares, mereciam ver gols.

Na questão tática e de estratégia, acredito que os dois treinadores confirmaram seus bons desempenhos. Carille é muito bom e soube cutucar Sampaoli. O domingo termina com os técnicos melhores que seus times e invictos nos confrontos diante os rivais. Que venham mais assim pela frente.

Leia também