Carille ainda quer reforços, mas fala em 'dar moral' a Giovanni Augusto

Gabriel Carneiro

O Corinthians contratou nove jogadores para a atual temporada, mas outros nomes ainda virão nas próximas semanas ou meses. Pelo menos é nisso que confia o técnico Fabio Carille, momentos após o clube informar a desistência da negociação de troca com o Internacional envolvendo os nomes de Giovanni Augusto e Valdivia. Apesar da negociação pelo jogador do Colorado ter esfriado, o treinador fez elogios em entrevista coletiva nesta terça-feira, no CT Joaquim Grava.

- Desde Ribeirão Preto foram feitas muitas perguntas, e não vou falar sobre jogadores que não estejam aqui. Isso é porque falei que era amigo do Emerson e saíram matérias de que eu estava forçando a vinda dele, o que é mentira. Mas falar da qualidade do Valdivia é falar de um jogador de qualidade, que fortalece qualquer elenco. Se vai vir ou não é uma situação da diretoria - disse Carille, que logo depois foi questionado sobre a possibilidade de contratação de novos reforços para o restante da temporada e voltou, espontaneamente, a falar sobre Valdivia.

- Todos os jogadores de qualidade que possam acrescentar são bem vindos, inclusive o Valdivia, que não sei se virá. Estamos trabalhando bastante e vão acontecer coisas para o Brasileiro, porque é necessário fortalecer. Se continuarmos nas competições precisamos de um elenco forte.

O elenco atual do Corinthians tem 40 jogadores, e muitos deles não têm atuado com frequência. Um dos exemplos é justamente o de Giovanni Augusto, que participou de apenas oito partidas no ano, sendo três como titular. Frequente no ano passado, o camisa 17 mostrou irritação com o modo como o Timão conduziu a possibilidade de saída: antes de conversar com o jogador, a diretoria praticamente acertou a troca com o Inter por Valdivia. Foi o próprio Giovanni o responsável por recusar as investidas e esfriar a negociação.

Agora, Giovanni Augusto segue no Corinthians com a confiança de Carille.

- O Giovanni é um jogador que chegou muito bem e depois caiu muito por vários fatores. Mas é um jogador que vamos recuperar, está trabalhando muito e contamos com ele. Ele não é mais um menino, sabe como funciona, já jogou em time de pressão antes. Faz parte de nós da comissão colocá-lo quando ele estiver bem, recuperar para que vá muito preparado a campo. Se não fizermos isso é um erro nosso. É dar moral, trabalhar sério e dar oportunidade de a torcida vir junto com ele - sentenciou o treinador alvinegro.

Em fase final de tratamento de lesão, Giovanni Augusto não foi relacionado para o jogo desta quarta-feira, pela primeira fase da Copa Sul-americana.











E MAIS: