Capitão senegalês dedica vaga nas oitavas a Papa Bouba Diop e Sadio Mané

Capitão da seleção de Senegal, Kalidou Koulibaly

Por Julien Pretot

DOHA (Reuters) - As emoções falaram alto quando o Senegal selou a classificação para as oitavas de final da Copa do Mundo exatamente dois anos após a morte de Papa Bouba Diop, o jogador que moldou as carreiras de muitos dos atletas do plantel atual, incluindo o capitão Kalidou Koulibaly.

O zagueiro usou uma braçadeira especial com o número 19 de Diop e os jogadores do Senegal seguraram uma faixa com um retrato do ex-jogador após a vitória de 2 x 1 sobre o Equador que classificou a equipe africana para a fase de mata-mata da Copa do Mundo.

Diop marcou o gol da vitória de 1 x 0 do Senegal sobre a então campeã mundial França na Copa de 2002 e fez mais dois no empate em 3 x 3 com o Uruguai na última partida da fase de grupos.

"Esta vitória e este troféu (melhor em campo) são para a família de Papa Bouba Diop, é um dia muito especial", disse um emocionado Koulibaly aos repórteres depois do que ele chamou de "um dos jogos mais importantes de nossas carreiras".

"Queríamos comemorar o grande jogador que ele foi, ele é uma lenda do futebol senegalês, ele me fez sonhar, ele fez todos nós sonhar", acrescentou.

O Senegal está jogando a Copa sem Sadio Mané, que foi vetado antes do início do torneio devido a uma lesão, e o atacante do Bayern de Munique também foi lembrado por seus companheiros.

"Nós também jogamos para Sadio, ele é nossa estrela, nosso irmão, somos uma família", disse Koulibaly.

O técnico Aliou Cisse também mencionou o ex-técnico Bruno Metsu, que levou Senegal às quartas de final em 2002 e que morreu em 2013.

"Eu não esqueço todos aqueles que nos ajudaram a estar aqui hoje", disse o treinador.