Capitão do Santos, Alison valoriza garotos da base: 'Decidem jogos'

Fábio Lázaro*
·2 minuto de leitura


Alison assumiu a braçadeira de capitão do Santos em 2020, e, embora costume a dividir com atletas como Pará, Lucas Veríssimo e Marinho, na maioria das vezes é ele o principal detentor da faixa. Essa liderança tem sido muito importante, já que muitos atletas da base estão ganhando espaço no elenco principal.

- Sou suspeito para falar da base do Santos. Sou cria da base, sou criado aqui. E não é de hoje que os Meninos da Vila são importantes. São desde sempre. Os meninos que sobem dão conta do recado. A gente tem que tirar o chapéu para eles - disse o meia em entrevista coletiva após a vitória santista por 4 a 1, pelo jogo de volta das quartas de final da Libertadores, nesta quarta-feira (16).

>> Veja aqui a tabela da Libertadores

Para Alison, a gama mais velha de jogadores santistas tem servido como suporte para a base, sendo um fator auxiliar para o corpo técnico.

- Nós, mais velhos, e a comissão damos o suporte para que eles só joguem futebol. Enquanto estivermos aqui, vamos dar suporte. São importantes, fundamentais, decidem jogos. Misto da base com jogadores mais experientes é muito importante. Base sempre teve papel fundamental e vai continuar tendo - pontuou o camisa 5, que tem 27 anos.

Jogo coletivo

E foi a divisão de responsabilidade mencionada por Alison um dos fatores para que o Peixe saísse triunfante no duelo contra o Grêmio, de acordo com o próprio jogador.

- Nós priorizamos nosso coletivo. Isso nos coloca no lugar que estamos. Um ajuda o outro, um dá a mão para o outro. Esse é o nosso diferencial, nosso ponto forte. Quanto mais fortificarmos esse ponto forte, melhor para gente. Foi uma partida excelente de toda a equipe, sem exceção - afirmou Alison.

O capitão santista evitou classificar a goleada contra o Grêmio a melhor apresentação do clube na temporada, mas salientou que o grupo do Peixe foi preponderante para as boas apresentações individuais.

- Não sei dizer se foi o melhor da temporada, mas foi excelente partida, não só minha. Para alguém se destacar no jogo é necessário que os demais estejam bem - externou o volante.

O Peixe mudará a chave após essa classificação, isso porque a Libertadores só retorna em 2020 e o time ainda tem dois compromissos pelo Campeonato Brasileiro antes da virada do ano.

* Sob supervisão de Vinícius Perazzini