Cansado de casos de doping, Hunt provoca: "Não assinei para enfrentar macacos bombados"

Aos 43 anos e com 70 lutas profissionais no currículo, incluindo MMA, boxe e kickboxing, Mark Hunt se prepara para novo desafio no mês de junho. Escalado para encarar Derrick Lewis em junho, o veterano da Nova Zelândia garantiu que fez apenas uma exigência ao assinar o contrato: que lhe dessem um rival que não fosse flagrado no exame antidoping.

Depois de três de seus recentes oponentes caírem nos testes realizado pela USADA (Agência Antidoping dos EUA), Hunt chegou a travar uma batalha judicial contra o UFC alegando que o show não garantia a segurança dos competidores com o seu atual sistema.

“A razão para eu processar o UFC foi que era a terceira luta seguida, e teria o quarto na sequência. Muita gente diz: ‘Mark, mas você sabia onde estava se metendo’. Besteira, eu não assinei para enfrentar nenhum macaco bombado”, bradou irritado em conversa com  podcast do site ‘My MMA News’.

Curiosamente, apesar de ter sido derrotado por Alistair Overeem em março, rival este que já enfrentou problemas com o antidoping no passado, Hunt revelou que chegou a recusar uma luta contra Josh Barnett. O americano, por sinal, foi testado positivo em um exame surpresa dois dias depois da resposta negativa de Hunt.

“Sinto como se eu tivesse sido trapaceado. Lutei com o Pezão, lutei com o Frank Mir e ele também foi pego. Me pediram por uma luta com o Josh Barnett em Melbourne e eu disse não porque ele é um trapaceiro safado. Dois dias depois ele foi pego usando esteroides”, narrou.