Cano, do Fluminense, está a um gol de recorde de Neymar e Gabigol e pode quebrar jejum que dura 50 anos

Centroavante do Fluminense é destaque absoluto de 2022 (Mailson Santana/Fluminense)


Depois do hat-trick, Cano alcançou três recordes e levou ao delírio da torcida do Fluminense, no Maracanã. Essa foi a segunda vez em que o atacante marcou três gols em uma partida com a camisa tricolor. A primeira aconteceu na histórica goleada por 10 a 0, sobre o sobre o Oriente Petrolero na Bolívia, pela Sul-Americana. Com duas rodadas pela frente, o argentino ainda pode atingir outras marcas.

Em sua melhor temporada na carreira, Cano já estufou a rede em 42 oportunidades na temporada e superou o seu melhor ano, quando havia marcado 41, em 2019, pelo Independiente Medellín, da Colômbia. O jogador está, agora, a um gol de Neymar e Gabigol, que marcaram 43, nos anos de 2012 e 2019, respectivamente.

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro

Ao marcar o hat-trick em treze minutos, Cano superou Magno Alves como o maior artilheiro do Fluminense em um mesmo ano neste século. Além disso, se tornou o maior goleador gringo em uma edição do Campeonato Brasileiro de pontos corridos (2003 - 2022).

O desempenho ganhou destaque no futebol argentino, com elogios do periódico 'Olé'. O atacante também igualou o francês Mbappé, companheiro de Neymar no PSG, como maior artilheiro do mundo em 2022 com 42 gols. Vale destacar que esta contagem é apenas por clubes, já que o astro estufou a rede mais duas vezes em amistosos e quatro vezes pela seleção.

Sendo assim, o jogador também está próximo de quebrar um tabu. O Brasileirão não tem um artilheiro estrangeiro há 50 anos. O último foi o uruguaio Pedro Rocha, que anotou 17 gols em 1972, com a camisa do São Paulo e dividiu o prêmio com Dadá Maravilha, do Atlético-MG.

Com o triunfo deste sábado, o Fluminense alcançou a marca de 64 pontos. A equipe já garantiu uma vaga na fase de grupos da próxima edição da Copa Libertadores e agora almeja sua melhor campanha desde o tetra, de 2012 (caso termine entre os quatro primeiros).

+ Cano elogia Diniz e revela lema para marcar hat-trick pelo Fluminense: 'Sempre acreditar até o fim'


Essa será a terceira vez seguida em que o clube carioca disputará a competição continental. Repete o feito de 2011, 2012 e 2013, quando também esteve presente em três edições consecutivas.

Todos os Artilheiros do Ano desde 2008


2008: Keirrison (Coritiba) - 41 gols
2009: Diego Tardelli (Atlético-MG) - 39 gols
2010: Jonas (Grêmio) e Neymar (Santos) - 42 gols
2011: Leandro Damião (Internacional) - 38 gols
2012: Neymar (Santos) - 43 gols
2013: Hernane (Flamengo) - 36 gols
2014: Magno Alves (Ceará) - 37 gols
2015: Ricardo Oliveira (Santos) - 37 gols
2016: Robinho (Atlético-MG) - 25 gols
2017: Henrique Dourado (Fluminense) - 32 gols
2018: Gustavo (Fortaleza) - 30 gols
2019: Gabigol (Flamengo) - 43 gols
2020: Diego Souza (Grêmio) - 28 gols
2021: Hulk (Atlético-MG) - 36 gols