Candidatura dos Estados Unidos para Copa de 2026 pode ser barrada

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, vem causando muita polêmica com as medidas que está tomando, entre elas um decreto anti-imigração para alguns países. Com isso, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, alertou o estadista americano sobre a Copa do Mundo de 2026.

Os Estados Unidos são apontados como os favoritos para sediarem o mundial de 2026, edição que passará a ter 46 seleções, em vez das tradicionais 32 equipes. Contudo, as medidas de Trump, que impedem cidadãos de vários países muçulmanos de entrarem no país, podem fazer a Fifa barrar os norte-americanos até de se candidatarem ao evento esportivo.

Veja mais:

International Board avalia auxílio de vídeo para Copa de 2018

Ásia quer mais vagas na Copa do Mundo de 2026

Deputado russo quer regulamentar brigas entre torcidas organizadas

“Trump é o presidente dos Estados Unidos e, como tal, tenho enorme respeito pelo o que ele faz”, declarou Infantino. “Ele foi eleito para, junto com o governo, tomar decisões que entende serem as melhores para o país”.

Apesar disso, o executivo da maior entidade de futebol alerta que: “o papel da Fifa é assegurar que todas as equipes classificadas para a Copa do Mundo, incluindo dirigentes e torcedores, tenham acesso ao país organizador ou, caso contrário, não haverá competição.

Com essa posição, Gianni Infantino segue uma linha que já havia sido adotada por Aleksander Ceferin, presidente da Uefa que alertou Donald Trump sobre as restrições que ele está impondo.