Candidatos mortos são eleitos prefeitos no Rio de Janeiro e Minas Gerais

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Paulo Cyrillo (à esquerda) e Antonio Claret morreram às vésperas da eleição (Foto: Divulgação)
Paulo Cyrillo (à esquerda) e Antonio Claret morreram às vésperas da eleição (Foto: Divulgação)

Dois candidatos que morreram nas vésperas do primeiro turno das eleições municipais de 2020 foram eleitos prefeitos em suas respectivas cidades: Bom Jesus do Itabapoana, no Rio de Janeiro, e Passa Quatro, em Minas Gerais.

Paulo Sérgio Cyrillo (Republicanos), do interior carioca, morreu na quarta-feira (11), e Antônio Claret (PV), morreu no sábado (14), um dia antes do pleito.

De acordo com os partidos, os nomes dos dois foram substituídos nas chapas, porém, um sistema das urnas eletrônicas impediu que os novos candidatos fossem adicionados a tempo antes da votação — ou seja, o nome de ambos continuou nas urnas.

Leia também

Em Bom Jesus do Itabapoana, Paulo Cyrillo, de 73 anos, venceu com 32,98%, o que representou 7.391 votos. O segundo colocado, Roberto Tatu (SD), teve 6.985 (31,17%).

Já em Passa Quatro, Antônio Claret, de 62 anos, levou a disputa, com 60,80% dos votos válidos, o que representou 5.638 eleitores do município do interior mineiro. O segundo colocado, Betinho Paiva (DEM) ficou com 3.302 votos (35,61%).

Em nota, antes do resultado do domingo (15), o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) afirmou que os dados dos candidatos seguiriam nas urnas eletrônicas eles receberiam normalmente os votos dos seus eleitores. Como a posse está marcada apenas para o dia primeiro de janeiro de 2021, quem assumiria, em caso de vitória deles, seriam os vices de chapa.