Canal de Deodoro reabre e vira reforço para os canoístas brasileiros


Foi aberto oficialmente o Canal Olímpico de Deodoro no Rio de Janeiro – palco Jogos Olímpicos de 2016 – como área de treinamento para a canoagem slalom, que visam Tóquio-2020. Os atletas brasileiros têm à disposição uma das melhores pistas, semelhante a pista construída em Tóquio para a edição olímpica de 2020.

Ana Sátila já está no Rio de Janeiro desde semana passada. Ela contava os minutos para a reabertura da pista. Para a atleta, essa reabertura será fundamental para os preparativos olímpicos.

– Temos em casa uma grande estrutura, somos privilegiados em poder remar em um canal excelente como esse, tanto é que no Japão eles construíram um semelhante. Para nós será importante porque chegaremos em Tóquio com uma performance excelente perto dos outros atletas – comenta a atleta confirmada na edição olímpica do ano que vem.




Canal de Deodoro
Canal de Deodoro
Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Canal de Deodoro é semelhante a de Tóquio (Foto: Divulgação)

Outros canoístas também irão remar nos próximos meses em Deodoro, Pedro Gonçalves deve chegar ainda essa semana, Guilherme Rodrigues, Charles Corrêa e Felipe Borges também completarão o time.

O Brasil ainda busca uma vaga no C1 Masculino que será disputada entre os países das Américas. Já no K1 Masculino, Pedro Gonçalves tem uma ligeira vantagem nessa categoria sobre seus concorrentes por ter conquistado a vaga olímpica no Mundial que aconteceu em agosto na Espanha, mas precisará passar pela Seletiva Nacional

O local será multiuso, os atletas poderão realizar os treinamentos diariamente e a comunidade poderá utilizar o espaço para área de lazer nesse período de verão. O retorno deve-se a parceria entre a Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro por meio da Subsecretaria do Legado Olímpico, Comitê Olímpico Brasileiro e a Confederação Brasileira de Canoagem – CBCa.




Leia também