Campeonato Mineiro segue suspenso, mesmo com julgamento de suposta irregularidade no TJD-MG

O campeonato segue embargado até que a liminar no STJD seja derrubada-(Divulgação/FMF)


Mais um capítulo da confusão no futebol mineira foi visto nesta segunda-feira, 16 de janeiro. Em julgamento realizado no Tribunal de Justiça Desportiva de Minas Gerais (TJD-MG), ficou decidido que, em segunda instância, o indeferimento do pedido do Betim Futebol da em relação à denúncia de escalação irregular de jogadores do Ipatinga no Módulo II do Campeonato Mineiro de 2022, quando o time do interior conseguiu a vaga na elite estadual.

O time da Grande BH queria os pontos do rival, pois ficou atrás do Ipatinga na classificação final da segunda divisão nacional. Com a derrota, o Betim, agora, recorrerá ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Apesar do resultado no Tribunal Estadual, o Campeonato Mineiro segue suspenso graças a uma liminar no STJD, que pode ser derrubada ainda esta semana, caso o Pleno do Tribunal derrube a liminar concedida ao Betim. O Estadual de Minas está previsto para começar no dia 21 de janeiro.

Entenda o caso desde o início

Tudo começou em setembro do ano passado, quando o Betim denunciou o Ipatinga, vice-campeão do Módulo II, ao TJD-MG, afirmando que o time do Vale do Aço estaria irregular com as obrigações trabalhistas com seu elen co, não assinando a carteira de trabalho de quatro jogadores para a disputa do torneio, o que se configuraria uma infração esportiva.

O Tigre teria infringido o artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) por falsificar a assinatura de documentos. Só que no julgamento no TJD-MG, desta segunda-feira, o Ipatinga foi absolvido.

No fim de 2022, em dezembro, o TJD-MG não acatou a denúncia do Betim em primeira instância, garantindo o Ipatinga na elite de Minas. O tribunal mineiro afirmou que o caso deveria ser analisado pela Comissão Nacional de Resoluções Desportivas (CRND), órgão colegiado da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Assim, o Betim entrou com recurso, todavia, o TJD-MG entrou em recesso, que iria até 22 de janeiro, um dia após a bola rolar no estadual. Nesse contexto, o Betim foi ao STJD, que suspendeu o Campeonato Mineiro, alegando que o TJD-MG teria agido de má-fé para não se responsabilizar pelo acesso do Betim e não classificação do Ipatinga.

“Vindicou por isso, liminar deste STJD, no sentido de que se imponha ao tribunal local, a marcação de sessão extraordinária, durante o recesso, para julgamento de seu recurso; ou que se avoquem os autos para julgamento do recurso por este sodalício diante da morosidade; ou ainda, que se determine a suspensão do campeonato para o ano de 2023", dizia a liminar do STJD.

Com toda a confusão armada e com o risco do campeonato não começar, mesmo em recesso, o TJD-MG convocou uma audiência extraordinária para para julgar, em segunda instância, o caso, dando vitória ao Ipatinga.