Campeão do UFC aponta falta de competitividade em sua categoria

Daniel Cormier é campeão do UFC desde 2015 - Diego Ribas

A divisão dos meio-pesados (93 kg) foi tomada de assalto por Jon Jones ainda em 2011. Desde fevereiro daquele ano, o americano venceu todos os seus combates e só perdeu o posto de campeão quando foi afastado do evento para resolver seus problemas com a Justiça de seu país. E a partir daí, Daniel Cornier se tornou o homem a ser batido, posto que não parece lhe garantir todo a competitividade esperada.

Com apenas uma derrota na carreira, justamente para Jones, ‘DC’ afirmou que sua divisão é monopolizada por apenas quatro atletas que dividem entre eles as chances de serem campeões. Além dele próprio e de seu algoz, Anthony Johnson e Alexander Gustafsson poderiam ocupar o topo dos meio-pesados.

“Você tem eu e o Anthony Johnson, o Jones, quando ele voltar, e o Gustafsson. Mas eu apenas não sei se o resto dos caras podem competir atualmente. Para mim, nem penso nesses caras. Eu planejei minhas três próximas lutas. Vou vencer o Anthony, depois vou vencer Jon Jones e depois vou vencer o Jones de novo. Assim eu terei conquistado tudo o que queria na minha carreira no MMA”, narrou em conversa com a Radio MMA Junkie.

Escalado para encarar Anthony Johnson no dia 8 de abril, no card do UFC 210, ‘DC’ dará a revanche ao rival que venceu em 2015. Curiosamente, os demais atletas citados em sua lista de ‘donos da categoria’, também já cruzaram seu caminho e, exceção feita a Jones, todos sucumbiram ao seu ritmo.

“Mesmo que seja difícil, meu desejo é lutar contra quem está no topo da divisão. Eu não tenho a vontade de lutar contra outros caras. Quero enfrentar o Jones, o ‘Rumble’ (Anthony Johnson) e eu lutaria com o Gustafsson. Mas eu preferiria não lutar com ele de novo porquê aquele cara realmente me machucou da última vez”.