Campeão do UFC analisa vitória sobre Anderson Silva: "Mais fácil da carreira"

Daniel Cormier é campeão do UFC desde 2015 - Diego Ribas

Campeão meio-pesado (93 kg) do UFC, Daniel Cormier se prepara para enfrentar seu próximo desafiante com a confiança lá em cima. Afinal, da primeira vez que cruzou com Anthony Johnson no octógono, a vitória por finalização não demorou mais do que três rounds para acontecer. Por isso, o veterano garantiu certeza de seu triunfo e usou até mesmo o brasileiro Anderson Silva como exemplo para justificar sua postura.

Em conversa com jornalistas nesta quinta-feira (30), Cormier afirmou que sua vitória sobre o ‘Spider’ foi a mais fácil de sua carreira, já que não apenas venceu os três rounds do confronto, como também garantiu um ponto extra na papeleta de todos os jurados tamanho o seu domínio dentro do octógono.

“Não sei do que as pessoas estão falando. Enfrentei Anderson Silva com dois dias de aviso e venci o cara que as pessoas apontam como o melhor de todos os tempos por 30 a 26 em todas as papeletas. Não houve perigo naquela luta. Aquela foi a luta mais fácil de toda a minha carreira”, afirmou do alto do seu excesso de confiança.

Com esse mesmo estilo, o ex-capitão do time americano de wrestling ditou o ritmo da coletiva realizada por telefone. Deixando de lado o clima amistoso que foi visto nas semanas de promoção da revanche, Cormier garantiu a rivalidade que faltava para a disputa principal do UFC 210, evento que será realizado no próximo dia 8 de abril.

“As pessoas têm medo do Anthony Johnson, principalmente por todos os seus nocautes. Então vencer alguém com essa fama por duas vezes, claro que quer dizer alguma coisa. […] Não sei. Mas não posso me importar com o que as pessoas pensam. Eu não sei como as pessoas podem achar que nós (eu e Rumble) somos equilibrados e estamos no mesmo nível. Ele teve um momento na última luta, mas tirando isso, eu bati nele o duelo inteiro”, provocou se referindo ao knockdown que sofreu na disputa que, de fato, ele dominou praticamente por completo.

Dono de um cartel com 18 vitórias e apenas uma derrota, Cormier sabe que será cobrado ainda mais caso vença AJ novamente. Afinal, ele terá praticamente limpado a categoria e, como único alvo, mais uma vez, verá o nome de seu único algoz ser mencionado.

“Acho que vencer o ‘Rumble’ novamente vai ajudar, mas no final tudo acabará na minha rivalidade com o Jon Jones. O Rumble fez um grande trabalho, mas nós estamos falando de um cara que foi considerado o melhor de todos os tempos. Então estamos falando de uma situação de um cara que está onde eu quero estar quando me aposentar”, finalizou.

Ex-campeão da categoria, Jon Jones segue afastado enquanto cumpre sua punição pelo flagra no exame antidoping divulgado em julho do ano passado. Na ocasião, por sinal, ele e Cormier duelariam pelo cinturão do UFC no show de número 200, ocasião em que ‘Bones’ foi substituído por Anderson Silva.