Campeão da NFL, Patriots visita Trump sem Tom Brady e outros 18

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Um total de 34 jogadores do New England Patriots, além da comissão técnica e do proprietário da franquia da NFL, visitaram nesta quarta-feira (19) a Casa Branca para se reunirem com o Donald Trump. Trata-se do tradicional encontro do atual campeão do Super Bowl, a final da liga de futebol americano, com o presidente dos Estados Unidos.

Maior estrela do time, o quarterback Tom Brady não esteve presente. Amigo pessoal de Donald Trump, o atleta alegou motivos pessoais para não comparecer ao evento. "À luz de alguns desenvolvimentos recentes, eu não poderei comparecer à cerimônia. Atenderei algumas questões familiares", justificou em comunicado.

Além de Brady, outros 18 jogadores dos 53 que conquistaram o título da NFL não foram ao evento. Alguns, como o tight end Martellus Bennett, avisaram previamente que não iriam à Casa Branca por causa de Trump. O running back LeGarrette Blount e o safety Devin McCourty justificaram que "não se sentiam bem-vindos" no local. O jornal "New York Times" fez uma comparação do quórum neste ano em relação a 2015, ano da última conquista dos Patriots.

Em seu discurso parabenizando os campeões, o presidente americano destacou a improvável reação dos Patriots contra o Atlanta Falcons. "Com suas costas diante da parede e os especialistas falando que vocês não conseguiriam, que o jogo tinha acabado, vocês arrancaram a maior virada da história do Super Bowl", exaltou Trump.

O New England Patriots perdia por 28 a 3 no terceiro quarto da partida contra os Falcons no NRG Stadium, em Houston, quando iniciaram a maior reação da história da decisão da NFL. Foram 31 pontos consecutivos - os últimos seis na prorrogação - sem resposta da equipe de Atlanta, que acabou derrotada por 34 a 28 no último dia 5 de fevereiro.