Campeão da Libertadores, Palmeiras mexe calendário e aumenta maratona

BRUNO RODRIGUES
·3 minuto de leitura

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O técnico Abel Ferreira instituiu no Palmeiras o que ele chama de regra das 24 horas. É quanto o elenco tem para celebrar uma vitória ou lamentar uma derrota. Campeão da Libertadores no último sábado (30), contra o Santos, no Maracanã, o português aceitou flexibilizar o método e permitiu que seus atletas extrapolem um pouco na celebração do título continental. Mas também não haverá tanto tempo assim para ficar comemorando. Isso porque a equipe alviverde já volta a campo nesta terça-feira (2), diante do Botafogo, pela 33ª rodada do Brasileiro. Muito provavelmente, com os titulares da decisão poupados pelo treinador. O duelo com os cariocas será apenas a continuação de uma maratona que o time já vem enfrentando na temporada, cujo calendário precisou ser espremido em razão da pandemia da Covid-19. "Para toda regra há uma exceção, e vou permitir quebrar a regra das 24 horas. Muita coisa está para trilhar, subimos a montanha e estamos a saborear a paisagem. É bom, mas há muitas outras coisas a se conquistar, não se pode distrair com a paisagem", disse Abel Ferreira logo após o título no Rio de Janeiro. Com a conquista da Libertadores, o Palmeiras, que já era finalista da Copa do Brasil, adicionou mais quatro partidas à sua agenda: a semifinal do Mundial de Clubes e uma eventual final ou disputa pelo terceiro lugar, e dois jogos da Recopa Sul-Americana, contra o Defensa y Justicia (ARG). Os palmeirenses estreiam no Mundial no próximo dia 7, em Doha, e enfrentam o vencedor do confronto entre Tigres (MEX) e Ulsan Hyundai (COR). A viagem ao Qatar acontecerá horas depois dos jogadores enfrentarem o Botafogo pelo Brasileiro. Caso vença seu primeiro compromisso no Oriente Médio, o clube decidirá o torneio no dia 11, mesma data para a disputa do terceiro lugar. Na outra semifinal, o Bayern de Munique (ALE) espera pelo vencedor da partida entre Al Ahly (EGI) e Al Duhail (QAT). Os jogos contra os argentinos do Defensa y Justicia, pela Recopa, ainda não têm datas confirmadas pela Conmebol. Esse inchaço do calendário alviverde provocou mudanças nas decisões da Copa do Brasil e em rodadas do Brasileiro. Pelo Nacional, o clássico com o São Paulo na 34ª rodada, que seria disputado no próximo dia 5 no Morumbi, foi adiado para 19 de fevereiro, uma sexta-feira, e ainda não tem horário definido pela CBF. A 35ª rodada, contra o Coritiba, aconteceria no próximo dia 8, mas também sofreu alteração e foi transferida para 17 de fevereiro, dois dias antes do Choque-Rei. A Confederação Brasileira de Futebol anunciou, logo após o título alviverde na Libertadores, a remarcação das finais da Copa do Brasil. Estipuladas anteriormente para os dias 11 e 17 deste mês, foram transferidas para 28 de fevereiro e 7 de março. O Palmeiras enfrentará o Grêmio e vai em busca do tetracampeonato na competição, já em meio aos Estaduais de 2021. Há ainda a possibilidade de mais um jogo entrar para a sequência palmeirense, ainda que seja válido pela próxima temporada. Se faturar o título da Copa do Brasil, disputará, em data a ser definida, a Supercopa do Brasil contra o campeão do Brasileiro. Com as partidas confirmadas até o momento, o clube fará 10 jogos em 33 dias a partir do confronto com o Botafogo, na terça-feira --lembrando que as datas da Recopa ainda não estão definidas. Uma maratona que tem virado rotina para o Palmeiras nesta temporada marcada pela pandemia, mas que não tira os jogadores do foco de buscar todas as taças possíveis. Mesmo a 10 pontos do líder Internacional na tabela do Campeonato Brasileiro, a equipe alviverde, que hoje ocupa a quinta colocação, não descarta, ao menos no discurso, a briga pelo Nacional. Na entrevista coletiva depois de conquistar a Libertadores, Abel Ferreira confessou que ainda não havia pensado sobre o Mundial de Clubes, próximo grande compromisso do Palmeiras. "Ainda não estudei, não pensei nisso. Não consigo responder sobre o torneio porque não o estudei ainda", afirmou. Passada a ressaca pelo título continental, ao menos dessa vez com mais de 24 horas para curtir, já é hora de trabalhar pensando no Qatar.