Camisa 9, Ronaldo mexicano quer seguir os passos do Fenômeno

Maior artilheiro do Brasil em Copas do Mundo, eleito três vezes o melhor jogador do mundo e responsável pelos dois gols do Brasil na final da Copa de 2002, contra a Alemanha. Essas são apenas algumas das conquistas de Ronaldo Fenômeno. O atacante coleciona fãs e é o ídolo de muitos brasileiros, mas não apenas dos brasileiros. Nascido no México, o jovem Ronaldo Cisneros foi batizado em homenagem ao Fenômeno, e parece que o nome caiu muito bem no centroavante do Santos Laguna.

Com apenas 17 anos, Ronaldo Cisneros vem impressionando com seu estilo de jogo. Camisa 97 do Santos Laguna, time mexicano – xará do brasileiro Santos Futebol Clube, o centroavante já desperta o interesse de grandes clubes do futebol europeu. Artilheiro da Concacaf Sub-20, quando vestiu a camisa 9 e marcou seis gols em cinco partidas, o atacante conversou com exclusividade com a Gazeta Esportiva e contou um pouco sobre sua jovem carreira, e como seu pai teve a ideia de homenagear o Fenômeno.

“Meu pai sempre foi fã do futebol espanhol. Assistia aos jogos do Barcelona mesmo antes do Ronaldo ir para lá. Quando o Fenômeno foi para o Barça, na temporada 1996/97, meu pai se tornou um grande fã, e passou a acompanhar sua carreira”, contou o mexicano.

O jogador de 20 anos foi o artilheiro da Concacaf sub-20 anotando seis gols em cinco partidas

Nascido em 8 de janeiro de 1997, Cisneros cresceu em uma época de ouro do futebol espanhol. Na temporada 1996/97, o Barcelona contava com estrelas como Ronaldo, Pep Guardiola, Luís Figo, Laurent Blanc e Stoichkov. A equipe conquistou a Copa do Rei, a Supercopa da Espanha e a Supercopa da Europa, sempre com o Fenômeno comandando o setor ofensivo.

Com a fala mansa, Ronaldo Cisneros conta que teve uma infância humilde, mas que sempre teve condições de buscar seu sonho de se tornar jogador profissional. Nascido em Torreón, no México, o jovem começou os primeiros passos no futebol jogando futebol com os amigos nas ruas da pacata cidade. Seu pai, Mario Cisneros, sempre o acompanhava em seus primeiros jogos, levando-o para centros esportivos e peneiras dos clubes da cidade. Com o tempo, Ronaldo passou a chamar atenção de pequenas equipes do país.

“Torreón muito bonita. Aqui é minha casa, onde eu cresci, onde a minha família, pais e avós vivem”. Além disso, é em Torreón, cidade-estado no norte do México, onde fica o seu clube de coração. “(O Santos Laguna) é o time que eu torcia na minha infância. Sempre foi um sonho defendê-lo”, afirmou a promessa mexicana, que entrou para o clube em 2011, mesmo ano em que Ronaldo Fenômeno pendurou as chuteiras, sendo o Corinthians sua última equipe.

No dia 12 de janeiro de 2014, Ronaldo Cisneros viveu um dos momentos mais difíceis da sua carreira. Enquanto voltava da Cidade do México, depois de uma partida contra o Cruz Azul, o ônibus que levava a equipe sub-17 do Santos Laguna capotou. No incidente, o médico do time faleceu e o camisa 9 sofreu apenas ferimentos leves. “Foi um momento muito triste da minha carreira e para a instituição”, relembra o jogador, com a voz embargada. “Graças a Deus eu fiquei bem e meus companheiros de equipe se recuperaram. Foi um momento que nunca vou esquecer”.

Por conta da pouca idade, Cisneros não chegou a acompanhar o auge da carreira brilhante de Ronaldo Fenômeno. Assim como muitos jovens brasileiros, Ronaldo Cisneros admira os jogadores que hoje brilham no futebol europeu, e é rápido quando questionado sobre seus ídolos na atualidade.

“Luís Suárez. Também tem o Ronaldo (Fenômeno), e o Raúl González, que era um grande centroavante”, destacou Cisneros. O jovem também lembrou do atacante mexicano Oribe Peralta, uma de suas referências e ex-jogador do Laguna.

Como não conseguiu acompanhar o futebol do Fenômeno, Cisneros recorreu a internet para ver vídeos do brasileiro. Quando questionado sobre suas características em campo, o jovem mexicano é certeiro. “Possuo algumas semelhanças com o Fenômeno. O número que uso na seleção Sub-20, o fato de marcar gols, de ser goleador, e também a potência. Acredito que minha potência e meu arranque são parecidos”, afirmou o camisa 97 do Laguna.

O centroavante do Santos Laguna estreou no profissional aos 17 anos, no dia 24 de outubro de 2014, no empate com o Club Universidad Nacional. “Foi muito bonito. Lembro de ver minha família na torcida, foi um sonho realizado. Foi um dia muito especial para mim e que vou guardar para sempre. Meu pai soluçava a cada toque que eu dava na bola, foi mágico”.

Ronaldo ainda não teve muitas oportunidades, jogando apenas 14 partidas (sete oficiais) e marcando três gols (todos em jogos amistosos), mas já sabe qual é o seu objetivo na carreira. “Primeiro quero me consolidar na primeira divisão mexicana e no time profissional do Santos Laguna. Consequentemente, quero ir para a Europa. Quem sabe trilhar o caminho do Ronaldo”.

* Especial para a Gazeta Esportiva