Camisa 10 da Seleção na Copa do Qatar, Neymar atinge marca inédita desde a Era Pelé


A Seleção Brasileira estreia na Copa do Mundo do Qatar com um jogador que está fazendo história com a Amarelinha: Neymar. Mesmo ainda sem alcançar seu primeiro título mundial, ele escreve seu nome ao usar a camisa 10 pela terceira Copa, algo que não acontece desde a Era Pelé, que vestiu o lendário número em quatro Mundiais seguidos.


> AO VIVO: acompanhe em tempo real os passos da Seleção Brasileira na Copa do Mundo

Ney já foi o camisa 10 da Seleção nas duas Copas anteriores: Brasil-2014 e Rússia-2018. Ele repete o feito no Qatar-2022 e atinge uma marca inédita há 56 anos, já que Pelé, em 1966, jogou sua terceira Copa com esse número (antes 1958 e 1962). O Rei ainda jogaria a Copa de 1970, no México, com os 10 nas costas, estabelecendo o que é o recorde atual.

Até Neymar conseguir essa façanha, os outros privilegiados que utilizaram a camisa 10 somente chegaram a fazer duas Copas seguidas com o número nas costas. Primeiro foi Rivellino (1974 e 1978), depois veio Zico (1982 e 1986) e por último Rivaldo (1998 e 2002). Os demais portadores desse numeral fizeram apenas uma Copa com ele.

> Veja a tabela e o simulador da Copa do Mundo-2022 clicando aqui

Se Neymar jogar a próxima Copa do Mundo, algo que ele ainda não garantiu, poderá igualar o Rei nesse recorde e se tornar o segundo atleta a jogar quatro Mundiais com a camisa 10 da Seleção Brasileira. Enquanto isso, ele tenta usar essa mística para levar o time de Tite ao hexacampeonato e um título que não vem há 20 anos, desde 2002.

Pelé - Seleção
Pelé - Seleção

Pelé foi o camisa 10 do Brasil em quatro Copas (Foto: Reprodução)

Nesta fase de grupos, o Brasil enfrenta a Sérvia, nesta quinta-feira (24), depois pega a Suíça na próxima segunda (28), no Estádio 974, e finaliza a participação contra Camarões, no dia 2 de dezembro, uma sexta-feira, de volta ao Lusail Stadium, palco da estreia.

Confira todos os camisas 10 da Seleção Brasileira em Copas do Mundo:


Brasil-1950: Jair da Rosa Pinto

Suíça-1954: Pinga

Suécia-1958: Pelé

Chile-1962: Pelé

Inglaterra-1966: Pelé

México-1970: Pelé

Alemanha-1974: Rivellino

Argentina-1978: Rivellino

Espanha-1982: Zico

México-1986: Zico

Itália-1990: Silas

EUA-1994: Raí

França-1998: Rivaldo

Coreia do Sul/Japão-2002: Rivaldo

Alemanha-2006: Ronaldinho Gaúcho

África do Sul-2010: Kaká

Brasil-2014: Neymar

Rússia-2018: Neymar

Qatar-2022: Neymar

Obs.: De 1930 a 1938 não havia numeração, que passou a valer em 1950