Camaleão: Vasco mostra diferentes estratégias e sistemas táticos

Felippe Rocha e Luiza Sá
LANCE!
Vasco tenta nova comemoração. Desta vez, com vitória sobre o Esmeraldino (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
Vasco tenta nova comemoração. Desta vez, com vitória sobre o Esmeraldino (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)


O Vasco que tirou o Flamengo da zona de conforto na última quarta-feira, mesmo tomando um gol no primeiro minuto de jogo, se portou de forma diferente. E mais uma vez mudando a postura apresentada no jogo anterior. As diversas disposições táticas e estratégias implementadas por Vanderlei Luxemburgo podem não dar certo sempre, mas são uma marca do trabalho corrente.

O comando técnico que fez o Vasco praticamente descartar as chances de rebaixamento com cinco rodadas de antecedência e solidificou a equipe no meio da tabela mostra versatilidade de opções de jogo. Diante do Rubro-Negro, a equipe começou com quatro volantes em linha e dois atacantes velozes marcando a saída de bola dos zagueiros rivais. Mas desde o início tem mudado.

Contra o CSA, no jogo anterior, Luxemburgo privilegiou o aspecto físico dos jogadores. Para o treinador, seria preciso um meio-campo descansado para superar o Azulão.

> Confira estatísticas e simule a tabela do Brasileirão





- Vi o CSA contra o Grêmio e o Argel tirou, para aquele jogo, alguns jogadores, para deixá-los "frescos" para o jogo de hoje. Eu tinha que ter um time fresco também. Tínhamos a informação de campo pesado também - explicou o treinador vascaíno após a vitória por 3 a 0.

Antes, porém, o time de Luxa ficou quatro jogos sem vencer. Nestes jogos, já distante do Z4 e sonhando em se aproximar do G4, o time teve desfalques, mas teve Fredy Guarín e um time, em tese, mais técnico, correndo mais riscos em busca de um lugar ao sol. Os dois empates e as duas derrotas respondem que não deu certo.

Uma vitória emblemática do time cruz-maltino foi contra o Atlético-MG, no Independência. Na ocasião, o sistema tático adotado foi o mesmo visto contra o Flamengo: duas linhas de quatro jogadores com dois atacantes à frente. A ideia também era dificultar a vida dos zagueiros, mas por um fator emocional: o mau momento do time mineiro, àquela altura, gerava atritos com a torcida. Luxa queria pressionar Iago Maidana e Igor Rabello.

Não foi a primeira vez que o Vasco de Luxemburgo se fazia mais ofensivo. Contra o Fluminense, pouco após a pausa para a Copa América, o Vasco venceu o Fluminense marcando o time então comandado por Fernando Diniz no campo de ataque. Só que eram três jogadores mais avançados, não dois como diante do Galo e do Rubro-Negro.

De modo geral, o Vasco joga com três jogadores no meio-campo. Quase sempre três volantes, com um mais recuado que os outros dois. Assim o time obteve as primeiras vitórias no Campeonato Brasileiro e se organizou para começar a subir na tabela.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também