Camacho crê em defasagem paulista na volta e aprova contratação de Jô


Nesta quinta-feira, o volante Camacho concedeu entrevista coletiva virtual para a Corinthians TV e deu sua opinião sobre alguns assuntos do momento, como o retorno às atividades, a conturbada situação política do clube em ano de eleição presidencial, o trabalho de Tiago Nunes e a contratação de novos jogadores em meio aos cortes salariais dos jogadores e do elenco.

Para o meio-campista do Timão, os clubes paulistas devem ficar defasados em relação aos outros times do país que já voltaram a treinar, uma vez que em outros estados as equipes já estão em atividade há algum tempo, o que deve fazer diferença quando o Campeonato Brasileiro tiver início.

- Com certeza vai ter (desequilíbrio). No estadual não, porque vai estar todo mundo junto, no mesmo nível de treinamento, mas o Carioca, pelo que a gente está vendo, retorna nesta semana, então os caras já estão treinando há três semanas e isso faz muita diferença com 90 dias parado. A gente treina em casa, está seguindo o protocolo que a preparação física está passando, mas não é a mesma coisa que treinar no campo, treinar junto com os amigos para se entrosar. Então acho que se o Campeonato Brasileiro começar em breve, vai ter muita diferença de quem já está treinando há três, quatro semanas, e quem ainda não começou - analisou o titular corintiano.



Quando as atividades voltarem no Corinthians, o elenco estará reforçado por Jô, que foi anunciado na última quarta-feira com contrato até 2023. Mesmo com os atletas e funcionários com atrasos salariais e redução nos vencimentos, Camacho diz que todo reforço é bem-vindo, já que uma coisa leva a outra. Para ele, um time que se reforça, fica mais perto de grandes conquistas.

- Acho que uma coisa leva a outra. Com os jogadores novos, a gente se reforçando, o Corinthians automaticamente vai brigar por títulos, brigar por coisas grandes e as coisas vão começar a andar. A gente sabe que no futebol, quando as coisas estão andando no campo, fora dele as coisas melhoram, então a esperança é essa, tem que se reforçar, todo time tem que se reforçar e começar a jogar bem. É começar os jogos que o Corinthians vai voltar ao normal - garantiu o volante alvinegro.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Confira outros trechos da entrevista de Camacho para a Corinthians TV:

EXPERIÊNCIA DE FICAR MUITO TEMPO PARADO
​Até comentei com a minha esposa isso, dois anos seguidos sem poder jogar, praticamente meio período. Muito difícil, no ano passado foi um motivo muito mais triste (suspenso por seis meses por doping), neste ano, pelo menos, está todo mundo junto, e quando voltar vai voltar todo mundo junto no mesmo nível, então é complicado, quem não passou por isso, é complicado demais, mas voltando todo mundo junto fica um pouco mais fácil.

QUAIS OS CUIDADOS PARA A VOLTA?
Todo mundo vai ter mais cuidado, mas quando eu voltei, eu pude treinar dois meses antes, quando é doping, eles abrem dois meses antes para você se preparar, dois meses é um tempo excelente para a gente entrar em forma, pegar o ritmo do time, a gente treinava muito coletivo lá, então acho que dois meses para mim foi bom, agora não vai dar, né? Serão dez a 15 dias no máximo, acho que vai ser muito mais apertado do que no ano passado.

COMO VOCÊ E O ELENCO TÊM REFLETIDO SOBRE A PRIMEIRA PARTE DO ANO?
Eu assisti a alguns jogos, os principais, acho que a gente está conversando muito, o elenco está se reunindo para conversar, o Tiago Nunes está reunindo a gente, reuniu todo mundo, depois só os volantes, só os meias. Acho que a gente já sabe mais ou menos o que a gente errou, a gente sabe que acertou muitas coisas também, tinha muita coisa certa, que na hora do resultado a gente não consegue enxergar, porque a gente só quer ganhar, ganhar e ganhar, e acaba deixando passar algumas coisas boas.

O QUE FAZER NO RETORNO PARA MELHORAR?
A gente sabe que a gente tem que ter mais tranquilidade nos jogos, no momento ali a gente queria ganhar de qualquer jeito, então a gente estava jogando com uma pressa a mais e isso não foi bom para a gente, acho que essa parada vai ser boa, vai ter tempo de treinar, a gente já sabe tudo o que tem que melhorar, então nessa volta, nesses dias que a gente vai ter de preparação, serão excelentes para a gente.

MOMENTO POLÍTICO DO CLUBE ATRAPALHA?
​Acho que não, o CT do Corinthians é bem blindado, ainda mais neste ano, estão entrando pouquíssimas pessoas, está tranquilo. Antes da parada, disso tudo, não tivemos tantas notícia, como estamos tendo agora e acho que não atrapalhou nada, acho que a gente tem que focar no nosso, tem que melhorar bastante e acho que esse momento não vai atrapalhar não.

COMO ERA O TRABALHO DE TIAGO NUNES NO ATHLETICO-PR E O QUE HOUVE NO CORINTHIANS?
​No Athletico-PR não dá para falar muito, porque a gente foi bem regular, dois anos jogando de uma maneira bem sólida e conquistando coisas grandes. No Corinthians eu não sei o que aconteceu, nos jogos a gente tomava uns gols que olhando agora não dá para acreditar e com o passar dos jogos, a pressão por resultados o time acabou jogando de uma maneira mais direta, a gente não estava tão tranquilo para jogar, acho que isso atrapalhou um pouquinho, mas o trabalho estava sendo bem feito, a pré-temporada, o começo de ano, estava sendo muito bem feito e espero retomar nessa próxima pré-temporada.

TIAGO NUNES FOI ESSENCIAL PARA A SUA VOLTA AO CORINTHIANS?
Acredito que sim, fiz dois anos bons com ele lá no Athletico-PR e quando ele recebeu a proposta do Corinthians ele me ligou e perguntou se eu queria voltar, se eu tinha vontade de trabalhar com ele no Corinthians. Eu falei que sim, com certeza. Eu não sei se fosse outro treinador, se eu teria essa oportunidade, se outro treinador teria me ligado para perguntar. Isso aí nós nunca vamos saber, mas acho que com ele ajudou sim.

COMO TEM VISTO AS NOTÍCIAS SOBRE A VOLTA ÀS ATIVIDADES?
É um assunto muito delicado, a gente nunca passou por isso, um momento muito triste, a gente vê na televisão as notícias são sempre horríveis, então eu acho que o Corinthians sabe a melhor hora, não voltou até agora porque não dava. A gente não tem previsão, a última notícia que a gente recebeu é que ainda não tem previsão de volta, mas eu confio no clube e sei que quando a gente voltar vai dar para treinar e vai ser um lugar seguro. Então é uma coisa difícil de se falar, mas acho que quando voltar, quando for a hora, vai ser bom para todo mundo e a gente vai poder se preparar bem, tranquilo, sem risco, para voltar o mais rápido possível aos jogos.

O QUE PENSA SOBRE A MANUTENÇÃO DOS CORTES MESMO APÓS A VOLTA?
Não dá para falar por uma pessoa quando são 30/35 envolvidos, é o elenco inteiro, então a gente tem que entrar em um consenso. A gente tem que conversar sobre isso, o Corinthians não falou nada sobre isso ainda. Acho que quando normalizar tudo, quando voltar os jogos, acho que vai normalizar o salário também, mas a gente não teve essa oportunidade de conversa, acho que quando voltarem os treinos a gente vai poder sentar e conversar para ver o que é melhor para o clube e para a gente.

MEIO-CAMPO ENTROSADO
Acho que é o trabalho da pré-temporada ali que a gente conseguiu assimilar rapidamente as coisas que o Tiago queria. O meio-campo começou muito bem e depois, com a queda de rendimento do time, todo mundo cai um pouquinho, não tem como separar ali, futebol hoje está todo mundo muito perto, muito junto, não dá para separar muito. Começou bem, mas agora a gente vendo os jogos, a gente sabe que dá para melhorar algumas coisas, questão de marcação, questão de organizar o jogo melhor. Acho que a gente tem tudo para melhorar ainda mais.

EXPERIÊNCIA COMO PRIMEIRO VOLANTE
​Eu comecei a jogar de primeiro volante no Athletico-PR, desse jeito assim um pouco mais recuado, então são dois anos seguidos, um no Athletico-PR e agora no Corinthians. Neste começo de ano, que eu estou jogando mais de primeiro volante e estou me sentindo bem, me sinto confortável ali, acho que encontrei meu lugar em campo, eu quero continuar de primeiro volante e sei que tenho muito a evoluir ainda.






















Leia também