Camacho aprova volta do Corinthians aos treinos em pequenos grupos


Os jogadores do Corinthians têm procurado se adaptar à rotina de treinos em suas casas durante o isolamento doméstico provocado pela pandemia de coronavírus, mas nem por isso deixam de avaliar as condições para uma possível volta às atividades no CT Joaquim Grava. Camacho, por exemplo, aprova o retorno gradativo aos treinamentos em pequenos grupos.

Em entrevista para a TV oficial do clube, o volante falou dessa alternativa e acredita ser um caminho seguro para iniciar o processo de retorno para a nova pré-temporada das equipes, mas somente quando as autoridades liberarem.

- Eu acho que é uma boa ideia para a gente começar a treinar de novo, dividir o grupo, fazer vários horários em grupos menores. Vai ser uma boa ideia e é do jeito que vai ter que ser no começo dessa volta para a pré-temporada - avaliou.



Enquanto isso, Camacho vai seguindo as orientações da comissão técnica corintiana e realizando seus treinos na academia de seu prédio, que tem ficado aberta, porém com restrições de uso durante a quarentena.​

- Sobre os treinos, a academia aqui do prédio tem ficado aberta, o pessoal fez um esquema que podem entrar duas pessoas por vez, então eu vou no horário que quase não tem ninguém, eu vou entre 11h30 e 12h, faço meu treino normal, a academia é bem completa, quanto a isso não estou tendo problemas - argumentou o meio-campista.

Camacho também comentou o que mais tem sentido falta durante esse período de isolamento. Além das atividades normais, como sair de casa e passear em shoppings, ele disse ter saudades de sentir a Arena lotada, embora saiba que vai demorar para ter essa sensação novamente.

- Tem muita coisa que a gente sente falta, de sair para a rua, de sair com a família, ir ao shopping, fazer qualquer coisa, mas o que eu mais estou sentindo falta é de jogar, da adrenalina do jogo, de jogar em casa com o estádio lotado, eu sei que isso vai demorar, a gente vai voltar a jogar, não vai ter estádio lotado, mas o que eu mais sinto falta é disso.

O volante crê que os jogos sem torcida vão ser mais complicados, já que os torcedores fazem a diferença dentro e fora de casa, porém não vê outra alternativa para que as competições possam voltar aos poucos.

- A volta vai ter que ser assim, vai ter que ser com a Arena vazia, jogos dentro e fora de casa, mas é muito complicado, ainda mais jogando dentro de casa, em que a torcida faz a diferença, jogar sem torcida é muito estranho, mas vai ter que ser assim, a gente vai ter que se acostumar e se preparar bem para fazer grandes jogos sem torcida - concluiu.











Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também