Santos vence Estudiantes com gol irregular e atuação espetacular de Vanderlei

EFE

Quilmes (Argentina), 5 abr (EFE).- O Santos assumiu nesta quinta-feira a liderança isolada do grupo 6 da Taça Libertadores, ao superar o Estudiantes, na Argentina, por 1 a 0, graças a gol polêmico do jovem atacante Arthur Gomes e a mais uma grande atuação do goleiro Vanderlei.

Aos 18 minutos do primeiro tempo, em contra-ataque fulminante, o camisa 23 balançou as redes, em lance curioso, já que acertou a trave, já estando na pequena área, mas deu sorte de a bola retornar em seus pés, para empurrar para o fundo das redes.

Ao receber passe de Eduardo Sasha, no entanto, Arthur estava em posição irregular, que não foi observada pelo árbitro equatoriano Roddy Zambrano ou seus auxiliares.

O destaque individual do duelo disputado em Quilmes, foi o goleiro Vanderlei, que fez série de grandes defesas, especialmente, no segundo tempo, quando o Santos mostrou muitas dificuldades em conter as ações ofensivas do adversário.

Com a vitória conquistada na Argentina, o time comandado por Jair Ventura chegou aos seis pontos, em três partidas disputadas, tomando a ponta do Estudiantes, que ficou com quatro, assim como o Real Garcilaso, que há dois dias empatou com o Nacional, do Uruguai, que tem apenas dois pontos.

Daqui três semanas, haverá repetição dos confrontos dessa rodada, mas, com mando invertido. No dia 24, o Peixe receberá a equipe de La Plata na Vila Belmiro, em partida que uma vitória pode, praticamente, assegurar classificação às oitavas de final.

Para o jogo desta quinta-feira na Argentina, o grande desfalque do Santos foi o atacante Gabigol, expulso no duelo com o Nacional, que deu lugar a Rodrygo. O volante Léo Cittadini, que se recuperou de lesão muscular na coxa esquerda, mas quase não treinou nos últimos dias, deu lugar ao experiente Renato.

No Estudiantes, a principal baixa foi o estádio Ciudad de La Plata, que teve gramado muito danificado por casa de um show, e "foi substituído" pelo Centenário Ciudad de Quilmes, distantes 42,5 quilômetros. No time, o veterano volante Rodrigo Braña e o atacante Marco Borgnino foram descartados por problemas físicos.

O jogo começou com o time argentino pressionando e criando mais oportunidades. Aos 11, o atacante Melano se aproveitou de cochilo da zaga e acertou a trave. Já no minuto seguinte, os anfitriões ficaram muito perto, quando Schunke acertou cabeçada e obrigou Vanderlei a fazer grande defesa.

O Santos conseguiu se aproveitar bem dos espaços deixados pelo adversário e abriu o placar aos 18, em contra-ataque fulminantes. Arthur Gomes recebeu na intermediária de Rodrygo, passou para Eduardo Sasha e recebeu na frente, finalizando na trave, mas pegando o próprio rebote para marcar, em posição duvidosa.

Aos 30, o Peixe ficou muito perto de provar do próprio veneno, quando o Estudiantes partiu em contra-golpe de alta velocidade. Melano recebeu no campo ofensivo, disparou livre e encheu o pé direito, em conclusão que saiu por cima, bem longe do gol.

O dominio da equipe de La Plata seguiu na partida, embora os visitantes não corressem muitos riscos. Aos 37, Campi recebeu na intermediária e arriscou de muito longe, em bola que saiu venenosa e foi defendida por Vanderlei em dois tempos.

Aos 43, o torcedor do Estudiantes foi ao desespero, quando, em boa trama ofensiva, Melano ajeitou de cabeça para Otero, que estava livre na marca do pênalti. O atacante colombiano tentou emendar de primeira, mas acabou furando feio, sem sequer tocar na bola.

Dois minutos depois, o Santos respondeu, em jogada que teve Rodrygo batendo para a área, o goleiro Andújar cortando para o meio da área e Jean Mota pegando o rebote. O meia, talvez, sem esperar a sobra, pegou mal e acabou batendo por cima do gol.

O segundo tempo começou com panorama muito parecido ao do primeiro, com o Estudiantes posicionado no campo de ataque, tentando pressionar, embora tivesse dificuldade em levar perigo. Aos 5, Rodríguez finalizou de fora da área, mas Vanderlei defendeu com facilidade.

O goleiro santista voltou a aparecer bem aos 15 minutos, quando o time argentino chegou pela direita com Melano, que cruzou bola na área. Lattanzio apareceu para finalizar de barriga, parando em grande intervenção do camisa 1.

Com o Santos cada vez mais acuado, apresentando dificuldades em atacar, Vanderlei brilhou mais uma vez aos 36, quando Campi cruzou e achou Otero, que testou e parou no goleiro. No rebote, Pavone - que entrou no intervalo -, ficou livre para tocar, mas não contou com a ágil recuperação do dono da meta do Peixe, que saiu em seus pés.

O jogo se tornou, nos instantes finais, um verdadeiro ataque contra defesa, e o camisa 1 do time paulista seguiu brilhando. Aos 44, Vanderlei voltou a ficar frente a frente com Pavone, que finalizou com liberdade, mas parou na muralha alvinegra.


Ficha técnica:.

Estudiantes: Andújar; Sánchez, Schunke, Desábato e Campi; Gómez, Rodríguez, Giménez (Pavone) e Lattanzio (Cascini); Otero e Melano. Técnico: Lucas Bernardi.

Santos: Vanderlei; Daniel Guedes, Lucas Veríssimo, David Braz e Dodô; Alison, Renato (Gustavo Henrique) e Jean Mota; Arthur Gomes (Léo Cittadini), Rodrygo (Diogo Vítor) e Eduardo Sasha. Técnico: Jair Ventura.

Árbitro: Roddy Zambrano (Equador), auxiliado pelos compatriotas Christian Lescano e Juan Macias.

Gol: Arthur Gomes (Santos).

Cartões amarelos: Campi (Estudiantes); David Braz e Vanderlei (Santos).

Estádio Centenário Ciudad de Quilmes, em Quimes (Argentina). EFE


Leia também