Calleri desencanta em 1º jogo como titular pelo São Paulo, e admite não estar 100%: 'Não estou no melhor momento'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Após 80 minutos e quatro jogos saindo do banco de reservas, Jonathan Calleri voltou a marcar um gol pelo São Paulo. O atacante começou sua primeira partida como titular no retorno ao Tricolor, e fez o tento da equipe no empate diante do Santos, pelo Brasileirão.

ATUAÇÕES: Calleri volta a marcar pelo São Paulo, mas Rigoni é o destaque do Tricolor no San-São

Apesar de ter balançado as redes e atuado por 85 minutos, o argentino sentiu o ritmo da partida, e admitiu na entrevista coletiva ainda não estar nas melhores condições físicas.

- Fazia muito tempo que eu não jogava. Eu senti o ritmo da partida, meus companheiros estavam duas marchas acima de mim. Se nota na intensidade, na velocidade de execução. Hoje foi minha primeira partida com 85 minutos, então tratei dar o meu melhor até meu corpo doer. Espero ajudar a equipe do jeito que eu puder. Se o mister decidir que estou pronto para uma sequência, perfeito. Se disser outra coisa, tenho que apoiar meu companheiro para que a gente possa ganhar. - revelou o atleta.

SÃO PAULO NA LIBERTA? SIMULE OS JOGOS DO TRICOLOR NO BRASILEIRÃO

O camisa 30 ressaltou a importância de seguir trabalhando, e confessou ter ficado "sem perna" nos minutos finais do jogo. Ele foi substituído aos 40 minutos da etapa final, por Benítez.

- Eu venho trabalhando há um mês. Como eu disse, não estou no melhor momento, mas com ritmo de jogo, minutos como hoje, fico melhor a cada dia. Me senti bem, um pouco cansado, sem perna no final, mas contente com os minutos. - ponderou.

O argentino também falou sobre a discussão com Luciano na decisão sobre quem bateria a penalidade marcada por Raphael Claus, aos 35 minutos do primeiro tempo. Ele destacou o profissionalismo do companheiro.

- Sobre o pênalti, quero agradecer o Luciano, se comportou como um grande profissional. Não tenho palavras para agradecer ele, que me deixou bater o pênalti. Nós dois queremos fazer gols e ajudar o São Paulo. Hoje ficou para mim, quem sabe no outro fica para ele. - disse.

Na comemoração, o camisa 11 foi o primeiro a abraçar Calleri, que exaltou a postura da equipe durante os 90 minutos.

- Jogamos com intensidade e em busca de fazer gol. Fomos protagonistas, fomos para frente a todo o momento. O resultado é o que é, um empate. Mas tivemos méritos para chegar nos três pontos. Infelizmente empatamos mais uma partida. Queríamos ir pelos três pontos. Vamos com a mesma atitude de hoje, e os torcedores ajudaram muito. - finalizou.

Segundo o site Footstats, o camisa 30 terminou a partida com duas finalizações certas e três desarmes, sendo o líder da equipe na partida em ambas categorias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos