Nepal iniciará sistema piloto de GPS para evitar fraudes no Everest

Katmandu, 20 mar (EFE).- O governo do Nepal equipará com sistemas de GPS alguns montanhistas com o objetivo de evitar possíveis fraudes na ascenção do Everest e de localizá-los em caso de perigo, informou nesta segunda-feira à Agência Efe uma fonte oficial.

"Alguns escaladores estarão equipados com o dispositivo piloto (de GPS) na próxima temporada" de montanha, indicou um porta-voz do escritório de informação do Departamento de Turismo, Durga Datta Dhakal.

Com a chegada da primavera e a abertura da temporada de montanha, que terá início na última semana do próximo mês de abril, centenas de alpinistas tentarão chegar ao cume do monte Everest, conhecido como o "teto do mundo", a 8.848 metros de altitude.

Ter a localização dos escaladores através de um sistema de posicionamento colocará freio às reivindicações fraudulentas do certificado de ascensão ao Everest que alguns realizam utilizando fotografias falsas e ajudará a garantir a segurança dos montanhistas ao longo da rota, detalhou a fonte.

Na atualidade, um alpinista pode obter este certificado apresentando imagens de si mesmo captadas no cume do Everest junto ao testemunho de um guia sherpa, provas que devem de ser verificadas pelas autoridades nepalesas.

No entanto, este sistema de verificação falhou em algumas ocasiões.

Em agosto do ano passado, descobriu-se que um casal de policiais indianos tinha manipulado as fotografias que os mostravam no cume do pico mais alto do mundo, uma fraude que lhes rendeu uma proibição de uma década para praticar montanhismo no país do Himalaia.

"Esperamos que as atividades deste tipo sejam controladas uma vez que o uso do GPS se inicie totalmente", disse Dhakal, que acrescentou que a utilização do GPS se estenderá a todos os alpinistas na temporada de 2018 se o programa piloto funcionar.

Por outro lado, com o sistema de posicionamento se pretende melhorar a segurança dos escaladores em uma cordilheira na qual as avalanches são frequentes e em onde morreram 19 pessoas em 2015.

A iniciativa chegará ao país do Himalaia após ter sido testada em áreas montanhosas de vários países há "muito tempo", detalhou o funcionário nepalês.

O Executivo do Nepal anunciou em fevereiro que instalará um serviço de internet gratuito em vários acampamentos da cordilheira do Himalaia, o mais alto deles a 5.380 metros de altitude. EFE