Caio Ribeiro critica Palmeiras e se "esquece" de elogiar a Ponte Preta

Foi curioso: num jogo fantástico, que marcou as semifinais do Paulistão 2017, o comentarista da Rede Globo, Caio Ribeiro, caiu no mesmo erro comum 9 entre 10 comunicadores que estão no mercado da bola: criticou o ruim e esqueceu-se do que foi bom.

Só ao final da partida entre Ponte Preta e Palmeiras, transmitida ontem pela emissora para o estado de São Paulo, menos para a cidade de Campinas, ele se lembrou de elogiar o “azarão” das semis.

Criticou Zé Roberto, que cometeu um erro que custou um dos gols da vitória de 3 a 0 da Macaca. Falou sobre o preparador físico e o jogador do Palmeiras que se estranharam no banco de reserva. Repudiou a passividade de Eduardo Baptista, que via seu time perdendo logo de cara, mas sem nenhum poder de reação.

Só esqueceu-se que, do outro lado, havia Gilson Kleina, ex-técnico do Palmeiras, que deve conhecer pelo menos alguma coisa de seu ex-time e, ainda por cima, quebrou a tática quase mortal alviverde no Moisés Lucarelli, na tarde de ontem.

– Méritos da Ponte, mas o Palmeiras fez uma partida muito abaixo…

Foi a frase que mais se ouviu, durante a transmissão. Cleber Machado, por sua vez, tentou balancear.

– A Ponte conseguiu um gol muito rápido, com dez minutos estava 2 a 0, isso muda completamente qualquer jogo. Estratégia, tudo tem que ser mudado, é outro jogo 2 a 0 com dez minutos e aí não foi físico: foi o time da Ponte que impediu a velocidade do Palmeiras.

Mesmo sem pontuar muito bem o excelente jogo da equipe de Campinas, Caio admitiu que as chances do Verdão de conquistar mais um título, nessa excelente fase, ficaram bem reduzidos.

– Partidaça da Ponte, (…) mas não dá para admitir um time com a qualidade individual que tem o elenco do Palmeiras passe o segundo tempo sem praticamente não exigir nenhuma defesa do Aranha [goleiro da Ponte Preta].