Cain Velásquez paga fiança de R$ 5 milhões e deixa prisão

Ex-campeão do UFC, Cain Velásquez terá de usar tornozeleira eletrônica.
Ex-campeão do UFC, Cain Velásquez terá de usar tornozeleira eletrônica. Foto: (Aric Crabb/MediaNews Group/East Bay Times via Getty Images)

Preso desde fevereiro por tentativa de homicídio contra o homem suspeito de assediar um familiar seu e o pai dele, o lutador americano Cain Velásquez recebeu uma decisão favorável na última terça-feira, quando o juiz Arthur Bocanegra, que rege o condado de Santa Clara, na Califórnia, permitiu que o ex-campeão do UFC pagasse fiança no valor de R$ 5,6 milhões e deixasse a prisão para responder às acusações em liberdade.

Na audiência, que durou quase 13 horas divididas em dois dias, o juiz relatou que: "Este incidente é extremamente grave, mas parece ser um comportamento isolado do Sr. Velásquez. Há também um calor viável de defesa da paixão. Senhor Velásquez, eu não o libertaria se não estivesse convencido de que, depois de oito meses de prisão, o senhor seria um perigo principalmente para Harry Goularte, Patricia Goularte ou Paul Bender. Se o senhor é um marido e pai tão dedicado, estou confiante - e tenho que acreditar - que o senhor não colocará em risco nada que o afaste de seu filho, sua filha, sua família. Espero que o senhor não prove que estou errado". Cain, prontamente, o respondeu: "Não vou, meritíssimo".

Leia também:

Além do pagamento da fiança de um milhão de dólares e ter de usar uma tornozeleira eletrônica, Cain terá de cumprir uma série de determinações como não usar armas, manter tratamento psicológico, aconselhamento e manter distância de, no mínimo, 300 metros das três pessoas que perseguiu no começo do ano.

Entenda o caso

O ex-lutador de MMA Cain Velásquez foi preso no dia 28 de fevereiro após um tiroteio em San Jose, Califórnia. Ele é acusado de tentativa de homicídio contra o homem que é acusado de molestar uma pessoa, de identidade não divulgada, menor de idade de sua família e o pai do suposto assediador.