Cada vez melhor nas faltas, Neymar pode reviver um velho sentimento dos torcedores

Por Tauan Ambrosio 

A cena era clássica, não importam as cores das camisas ou o dono das chuteiras. O jogador caía nas cercanias da grande área e o juiz marcava a infração da defesa adversária. A torcida, sabendo o que provavelmente iria acontecer, comemorava quase como se fosse um gol: a bola parada voa após o arremate certeiro e acerta o alvo.

Em 1987, por exemplo, ao ver Zico se encaminhar para uma cobrança de falta o zagueiro do Santa Cruz resolveu, ao contrário de seus companheiros, ficar de costas ao formar a barreira. O goleiro Birigui, sem entender, questionou a atitude e recebeu a resposta: “pô, eu também quero ver o gol”. O Galinho bateu e fez o seu terceiro tento nos 3 a 1 sobre a equipe pernambucana.

Zico foi um dos maiores batedores de falta do futebol brasileiro, e foi devido à sua extrema perícia nesse fundamento que imprensa e torcida do Flamengo fizeram comparações quando Diego abriu o placar contra o San Lorenzo, na goleada por 4 a 0 na estreia rubro-negra na fase de grupos da Libertadores 2017. É impossível ver um camisa 10 do clube da Gávea fazer um gol de falta sem recordar do maior herói do Fla.

Mas, verdade seja dita, o gol de falta mais espetacular daquela quarta-feira (07) havia acontecido algumas horas antes há um oceano de distância. Quando Neymar acertou o ângulo do goleiro Kevin Trapp, do PSG, em cobrança majestosa, o Barcelona voltou a acreditar que era possível balançar as redes francesas outras duas vezes e conseguir uma classificação que jamais seria esquecida. Foi o que aconteceu, e não duvide da importância que aquele quarto tento teve na maior ‘remontada’ da história da Champions League.

Neymar Barcelona PSG Champions League 08 03 2017
Neymar gola Brasil Alemanha Olimpíada 2016

(Fotos: Getty Images)

Também não dá para falar que foi, até hoje, a falta mais histórica convertida por Neymar. Vale lembrar que o craque brasileiro deixou a sua marca no Maracanã quando a Seleção conquistou, enfim, a medalha de ouro na Olimpíada de 2016. Mas aquele quarto tento barcelonista, contra o PSG, foi, sem dúvidas, o mais emocionante. Um gol incrível, mas longe de ser inesperado.

GFX NEymar faltas Champions League 09 03 2017

Na Champions League 2016-17, ninguém tem aproveitamento melhor do que Neymar nas cobranças de falta. O brasileiro é o único a ter feito dois gols desta forma, e teve três tentativas para tal. Cristiano Ronaldo, por exemplo, fez aquela pose toda nove vezes e só conseguiu um gol (sobre o Sporting); e em cinco tentativas Messi ainda não estufou as redes no certame europeu.

Já no Campeonato Espanhol, o artilheiro em gols de falta é o atacante Sandro Ramírez, revelado pelo Barcelona e que atualmente veste a camisa do Málaga: foram três tentos em cinco cobranças. Messi balançou as redes em duas oportunidades, mas o número não parece tão bom quando se olha a quantidade de tentativas (25) em relação ao seu companheiro da camisa 11. Neymar fez somente um gol em nove cobranças.

O que impressiona é a evolução de Neymar neste fundamento. Antes da atual temporada começar, o camisa 11 tinha marcado apenas duas vezes em cobranças diretas de falta pelo Barcelona. E em um time onde Lionel Messi é o dono das bolas paradas, em 2016-17 o craque brasileiro já deixou jogadores que formavam barreiras e goleiros adversários sem ação ao verem o destino final da bola.

Em toda a sua carreira, foram 16 gols de falta divididos entre Santos, Brasil e Barça. Messi tem quase o dobro, mas parece que o momento é todo para Neymar ser o cara das cobranças de falta. De qualquer maneira, quem ganha nessa disputa é o Barcelona e o fã de futebol que sente saudades dos gols marcados assim – cada vez mais raros, já que a maioria dos jogadores treina menos o fundamento para evitar lesões. Talvez, caso siga neste ritmo, Neymar consiga reeditar o clima de ‘meio-gol’ que pairava nos estádios quando um reconhecido batedor de faltas corria para a bola.