Cacique Raoni recebe alta médica após quadro de hemorragia digestiva

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Amazonian indigenous leader Raoni Metuktire delivers a letter to 10 Downing Street, London, calling on Prime Minister Boris Johnson to condemn the actions of Brazil's president Jair Bolsonaro in failing to protect indigenous tribes in the Amazon rainforest. (Photo by Dominic Lipinski/PA Images via Getty Images)
Amazonian indigenous leader Raoni Metuktire delivers a letter to 10 Downing Street, London, calling on Prime Minister Boris Johnson to condemn the actions of Brazil's president Jair Bolsonaro in failing to protect indigenous tribes in the Amazon rainforest. (Photo by Dominic Lipinski/PA Images via Getty Images)

O cacique Raoni, líder do povo Kayapó, recebeu neste sábado (25) alta médica do Hospital Dois Pinheiros, em Sinop (MT), onde estava internado havia uma semana.

“Eu quero agradecer a todos vocês que me apoiaram, que estão escutando todo dia sobre mim, sobre minha saúde. Eu agradeço a todos vocês. Eu estou curado”, disse Raoni ao deixar o hospital.

O líder indígena de 89 anos tinha apresentado sintomas de desidratação e anemia severas e foi transferido de sua aldeia para o centro médico.

O estado de saúde do cacique se agravou após a morte da mulher, Bekwika Metuktire, em 23 de junho. Raoni desenvolveu quadro de depressão e passou a se alimentar muito mal.

“Queria falar para vocês que doença chega a qualquer dia e ataca alguém da nossa família. Eu queria que todas as pessoas pensassem nisso e possam gostar, amar e respeitar o outro, porque a gente não sabe o dia de amanhã, se nossos amigos vão ficar doentes”, afirmou Raoni após receber alta.