Do céu ao inferno: São Paulo vence, mas leva gol no fim e é eliminado da Copa Sul-Americana pelo Lanús

LANCE!
·4 minuto de leitura


O São Paulo viveu uma noite trágica nesta quarta-feira. No Morumbi, o Tricolor recebeu o Lanús, saiu atrás do marcador, virou a partida no fim, mas levou um gol nos acréscimos e, por conta do critério do gol qualificado fora de casa, foi eliminado da Copa Sul-Americana. mesmo com o triunfo, por 4 a 3. Como o jogo de ida, na Argentina, acabou em 3 a 2, a equipe do técnico Fernando Diniz deu adeus ao torneio continental.

O roteiro parecia de cinema no Morumbi. O São Paulo foi do céu ao inferno em menos de 90 segundos. O time conseguiu fazer três gols em sequência, levou a partida para os pênaltis e conseguiu abrir dois de diferença, mas sofreu no fim e foi eliminado - mais uma vez - de um torneio continental de forma decepcionante, embora o desempenho tenha sido bom.


Primeiro tempo agitado
São Paulo e Lanús protagonizaram uma partida de grandes emoções no Morumbi. A equipe argentina não se deixou abater por estar jogando fora de casa e começou melhor o duelo. No começo do jogo, o atacante De la Vega aproveitou um passe errado de Tchê Tchê no meio de campo, ajeitou o campo e soltou o pé contra o gol do Tricolor. Tiago Volpi pulou, mas não chegou.

Em desvantagem, o São Paulo partiu para o ataque e não demorou para empatar. Reinaldo cobrou escanteio, a bola foi desviada e sobrou na medida para Daniel Alves aparecer na pequena área e testar com força para o fundo da rede adversária. Quando a partida parecia controlada, a zaga tricolor deu bobeira dentro da área, não pressionou o adversário, perdeu a bola e Di Placido encontrou Aguirre livre de marcação para colocar o Lanús, de novo, na frente do placar.

Substituição do Diniz e nova postura do São Paulo
Precisando de dois gols para levar a partida para os pênaltis, o técnico Fernando Diniz foi para o tudo ou nada. No intervalo, sacou o zagueiro Diego Costa e colocou o atacante Pablo. Daí em diante, foi um jogo de ataque contra o defesa. O Tricolor passou a ter praticamente toda a posse da bola e o goleiro Morales precisou trabalhar muito.

Ainda aos 16 minutos do segundo tempo, Daniel Alves deu um passe açucarado para Pablo entrar na área e bater cruzado, sem chances de defesa. O empate deu mais ânimo para o São Paulo, e Fernando Diniz sacou o Bruno Alves e mandou a campo Vitor Bueno - ficando sem zagueiro em campo nos últimos minutos de jogo.

A ousadia do treinador foi recompensada. No fim da partida, Gabriel Sara cruzou rasteiro e o lateral Di Placido foi afastar e marcou contra. O resultado levava o jogo para os pênaltis, mas nos acréscimos, o próprio Gabriel Sara - aproveitando cruzamento na medida de Daniel Alves - fez o quarto gol tricolor na partida. O clima era de festa.

O golpe final
Sem nenhum zagueiro em campo e precisando segurar a vitória por cinco minutos, o São Paulo fracassou. A vantagem tricolor no placar agregado não durou nem sequer dois minutos, O argentino Orsini recebeu cruzamento dentro da área e conseguiu arrumar o corpo e mandar a bola para o fundo da rede do goleiro Tiago Volpi.

Ao fim da partida, o clima era de total frustração por parte do São Paulo - que já havia sido eliminado da Copa Libertadores na fase de grupos. Já a equipe do Lanús foi ao centro do campo, cantou, vibrou e celebrou a noite histórica no Morumbi, apesar da derrota.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 4x3 LANÚS


Estádio: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data e horário: 4 de novembro de 2020, às 19h15 (horário de Brasília)
Árbitro: Alexis Herrera (VEN)
Assistentes: Jorge Urrego (VEN) e Tulio Moreno. (VEN)
Renda/Público: Portões fechados
Cartões amarelos: Gabriel Sara (São Paulo); Facundo Pérez, Lautaro Acosta, Belmonte e Burdisso (Lanús)
Cartão vermelho: -

Gols: De la Vega (16'/1ºT) (0-1); Daniel Alves (23'/1ºT) (1-1); Aguirre (43'/1ºT) (1-2); Pablo (16'/2ºT) (2-2); Di Placido (contra) (43'/2ºT) (3-2); Gabriel Sara (44'/2ºT) (4-2); Orsini (47'/2ºT) (4-3)

SÃO PAULO (Técnico: Fernando Diniz)
Tiago Volpi; Tchê Tchê, Diego Costa (Pablo, no intervalo), Bruno Alves (Vitor Bueno, aos 35'/2ºT) e Reinaldo; Luan, Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes; Brenner (Arboleda, aos 46'/2ºT) e Luciano (Leo, aos 46'/2ºT).

LANÚS (Técnico: Luis Zubeldía)

Morales; Di Placido, Thaller, Burdisso e Bernabéi (Lautaro Acosta, aos 26'/2ºT); Belmonte, Facundo Pérez (Alexis Pérez, aos 42'/2ºT), Vera (Quignón, aos 26'/2ºT) e Aguirre (Orozco, aos 45'/2ºT); De la Vega (Orsini, aos 25'/2ºT) e Pepe Sand.