Heynckes elogia Zidane e diz que combaterá gols de CR7 com Lewandowski

EFE

Munique, 24 abr (EFE).- O técnico do Bayern de Munique, Jupp Heynckes, afirmou nesta terça-feira que é um grande admirador de Zinedine Zidane, comandante do Real Madrid, antes do confronto entre da duas equipes pelas semifinais da Liga dos Campeões.

"Enfrentei grandes companheiros como Arrigo Sacchi, Johan Cruyff, Marcelo Lipp, treinadores fantásticos, e agora sou um grande admirador do Zizou. Já era como jogador e agora como treinador. O que gosto nele, sobretudo, é como ele faz o Real Madrid jogar e a tranquilidade que mantém nas partidas", afirmou.

"Ele mostra que é uma pessoa que não age para a opinião pública nem pensando nas câmeras. Observa o futebol com tranquilidade, como é como pessoa. É um treinador exemplar", elogiou Heynckes.

Ao analisar o jogo do Real Madrid e o duelo pelas semifinais, Heynckes não quis focar no perigo representado pelo atacante Cristiano Ronaldo e revelou que vai combater os gols marcados pelo craque com seu próprio artilheiro, o polonês Robert Lewandowski.

"Respeito a equipe e cada jogador, Cristiano Ronaldo até agora teve uma carreira única, mas a 'Champions' é vencida pelo time mais homogêneo, que joga um futebol melhor", afirmou.

"Não se deve esquecer que temos Lewandowski, atacante que marcou 39 gols em partidas oficiais e que é capaz de eliminar uma equipe como ele. Estou muito contente com ele, é um jogador que sempre rende e está em forma, dá tudo pelo futebol", ressaltou.

O veterano treinador, de 72 anos, também falou sobre seu retorno ao futebol depois de se aposentar e afirmou que esse talvez seja seu último jogo contra o Real Madrid da carreira.

"Para um treinador, o Real Madrid é um rival digno para ser o último da carreira, mas não era minha intenção. Já tinha me aposentado e é extraordinário ter voltado ao futebol, em uma idade alta para um treinador, com o privilégio de chegar às semifinais e ter a chance de eliminar um grande adversário", disse.

Heynckes também se lembrou de sua passagem pelo Real Madrid. Com o clube espanhol, o técnico conquistou a Champions em 1997-1998.

"Guardo muitas coisas na minha memória de 1998 em Amsterdã contra a Juve. Foi um momento muito lindo quando chegou o apito final e o Real Madrid conquistou a Europa após 32 anos, recuperando sua identidade internacional", contou o treinador.

Além disso, o técnico falou sobre a ausência do chileno Arturo Vidal, que está fora da temporada por lesão. Para Heynckes, apesar de o meia ser um jogador muito importante, grandes equipes como o Bayern são capazes de cobrir esse tipo de baixa.

"É uma pena por ser ele, precisamente ele, que com a Juve jogou duas finais e não venceu. É doloroso porque é um jogador de tamanho mundial. É uma pena que não possa jogar, mas a equipe lutará por ele para que ele possa levantar o título de campeão", disse o experiente treinador. EFE


Leia também