Bruno se apresenta à polícia depois de ter mandado de prisão expedido

Bruno passará por exames de corpo de delito e será encaminhado ao Presídio de Varginha. Foto: Futura Press

O caso do goleiro Bruno Fernandes ganhou mais um capítulo na tarde desta quinta-feira. Após a Justiça expedir o mandado de prisão solicitado pelo Superior Tribunal Federal (STF), o atleta se apresentou à polícia na Delegacia Regional de Varginha, na região sul de Minas Gerais. Bruno passará por exames de corpo de delito e será encaminhado ao Presídio de Varginha.

Bruno já havia se apresentado às autoridades na última terça-feira, quando a Primeira Turma do STF revogou o habeas corpus concedido ao goleiro e determinou sua volta ao cárcere. Na ocasião, porém, o mandado de prisão ainda não tinha sido expedido e o atleta precisou assinar uma certidão garantindo que se entregaria quando o documento fosse despachado.

Condenado a 22 anos e três meses de reclusão em regime fechado pelo sequestro, assassinato e ocultação de cadáver da ex-companheira Eliza Samudio, em 2013, Bruno cumpriu seis anos e sete meses da pena antes de ser libertado, no dia 21 de fevereiro deste ano, por meio de um habeas corpus concedido pelo ministro Marco Aurélio Mello, do STF.

Pouco mais de duas semanas após ser solto, Bruno foi confirmado como novo reforço do Boa Esporte, agremiação da cidade de Varginha (MG), para a disputa da segunda divisão do Estadual e da Série B do Campeonato Brasileiro. A contratação do goleiro recebeu inúmeras críticas e fez com que o clube perdesse patrocínios.

Bruno defendeu o Boa Esporte em cinco partidas e sofreu quatro gols, mas voltou a ter a carreira ameaçada na quarta-feira passada, quando o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu a revogação do habeas corpus do atleta, fato que aconteceu em sessão da Primeira Turma do STF realizada na terça-feira desta semana.