Brown: novos donos da Williams devem abrir a carteira

Luke Smith
·3 minuto de leitura

O fundo de investimento americano Dorilton Capital comprou a Williams no final de agosto, depois que a família de Frank Williams anunciou em maio que estava considerando sua venda.

O acordo acabou com a incerteza financeira da Williams, impulsionando sua economia depois de registrar perdas de 13 milhões de libras (R$ 91.4 milhões) em 2019.

Há um certo paralelismo entre Williams e McLaren, equipes que ganharam títulos na Fórmula 1 durante as décadas de 1980 e 1990, mas desde então deixaram de estar no topo.

Leia também:

F1: Frank Williams recebe alta de hospital após nove dias; saiba mais Russell sugere mudanças na Williams após experiência na Mercedes F1: Williams oficializa Roberts como chefe de equipe e anuncia ex-McLaren como novo CEO

A McLaren terminou em nono no campeonato de construtores da F1 em 2015 e 2017, mas desde então passou por um grande programa de reestruturação dentro e fora da pista.

A equipe de Woking terminou em terceiro no campeonato de construtores de 2020, seu melhor resultado desde 2012, e anunciou a venda de uma parte da equipe e uma injeção de capital de 185 milhões de dólares (cerca de R$ 960 milhões) durante o GP de Abu Dhabi.

Perguntado se ele vê a Williams capaz de completar um cronograma de aquisição semelhante ao da McLaren, Zak Brown disse que é possível, mas exigirá dinheiro dos novos proprietários.

"É uma grande equipe", disse Brown. “Os novos donos vão precisar investir muito dinheiro. Estão prejudicados com a renda por terem ficado em décimo no campeonato e não parece que tenham muitos patrocinadores. Eles têm pessoal, conhecimento e capacidade. Eles só precisam dos recursos que lhes tem faltado”.

"Isso vai levar algum tempo, mas acho que eles deram um grande passo este ano. Embora não tenham marcado nenhum ponto, eles estiveram em posição de fazê-lo algumas vezes."

"Não há razão para que não possam, mas terão que continuar investindo porque me parece que eles não têm o mesmo nível de renda que tínhamos."

"Como sabemos, na Fórmula 1 você precisa de dinheiro para ir rápido, então eles só precisam continuar puxando o talão de cheques."

A Williams anunciou recentemente que o ex-CEO da McLaren F1, Jost Capito, se juntará à equipe na temporada de 2021. Além disso, Simon Roberts assumirá o cargo de diretor em caráter permanente.

George Russell e Nicholas Latifi continuarão como pilotos no próximo ano. O canadense levará um importante patrocinador e colaboradores de seu país que ajudarão o projeto Williams.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1: Cristiano da Matta revela APELIDO SECRETO de Rubens Barrichello no início de carreira na Europa

Your browser does not support the audio element.