Brittney Griner volta "bem" aos EUA; russo Bout aterrissa em Moscou

Brittney Griner volta aos EUA

Por Susan Heavey

WASHINGTON (Reuters) - A estrela do basquete Brittney Griner desembarcou nos Estados Unidos nesta sexta-feira após 10 meses de detenção na Rússia, depois de uma troca de prisioneiros com o traficante de armas Viktor Bout, que voou para casa horas antes para abraçar sua família na pista do aeroporto de Moscou.

"Dizem que ela está muito bem, parece estar com boa saúde", disse o porta-voz da Casa Branca, John Kirby, à MSNBC em uma entrevista citando autoridades norte-americanas em San Antonio, Texas, onde ela chegou pouco antes do amanhecer.

A troca de quinta-feira, após meses de negociações meticulosas, foi um raro exemplo de cooperação entre EUA e Rússia após a invasão da Ucrânia por Moscou, embora o Kremlin tenha sido rápido em dizer que não mostra melhora nas relações.

A mídia estatal da Rússia alardeou a troca como uma vitória para Moscou, após a libertação de um homem que o Departamento de Justiça dos EUA descreveu como um dos traficantes de armas mais prolíficos do mundo, que vendeu armas em todo o mundo para terroristas e inimigos dos Estados Unidos por décadas. Bout sempre negou as acusações.

O presidente dos EUA, Joe Biden, ao anunciar a libertação da atleta na quinta-feira, disse que a troca encerrou o que descreveu como meses de "inferno" para Griner, de 32 anos, duas vezes medalhista de ouro olímpica e estrela do Phoenix Mercury.

Griner foi presa em 17 de fevereiro em um aeroporto de Moscou depois que cartuchos contendo óleo de cannabis, que é proibido na Rússia, foram encontrados em sua bagagem.