Brittney Griner é levada para colônia penal na região russa de Mordóvia, diz fonte

Brittney Griner durante audiência na Rússia

Por Filipp Lebedev

(Reuters) - A estrela do basquete norte-americano Brittney Griner foi levada para uma colônia penal na região russa de Mordóvia, disse uma fonte familiarizada com o caso à Reuters nesta quinta-feira.

Em agosto, Griner foi condenada a nove anos em uma colônia penal por acusações de drogas após sua prisão em um aeroporto de Moscou em fevereiro com cartuchos de vape contendo óleo de cannabis em sua bagagem. Ela foi transferida de um centro de detenção perto de Moscou em 4 de novembro para ser levada a uma prisão não revelada.

Autoridades russas não deram informações sobre seu paradeiro por quase duas semanas, mas a fonte disse que ela foi levada para a Colônia Penal Feminina IK-2 em Yavas, cerca de 500 km a sudeste de Moscou.

A colônia fica na Mordóvia, mesma região onde outro norte-americano, Paul Whelan, cumpre pena de 16 anos em outro estabelecimento penal após ser condenado por acusações de espionagem, as quais ele nega.

Questionado sobre o caso de Griner, um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA disse: "Estamos cientes dos relatos de sua localização e em contato frequente com a equipe jurídica da sra. Griner."

"No entanto, a Federação Russa ainda não forneceu qualquer notificação oficial para tal mudança de um cidadão dos EUA, o que protestamos veementemente. A Embaixada continua a pressionar por mais informações sobre sua transferência e localização atual."

Presidiários de colônias penais russas são obrigados a trabalhar longas horas por salários escassos em tarefas manuais tediosas. Ex-prisioneiros e grupos de direitos humanos descrevem as condições lá como duras e anti-higiênicas, com pouco acesso a cuidados médicos.

Rússia e Estados Unidos discutiram a troca de Griner e Whelan, um ex-fuzileiro naval dos EUA, por um traficante de armas russo preso nos Estados Unidos, mas nenhum acordo se materializou em meio a tensões elevadas sobre a invasão da Ucrânia pela Rússia.