Brigas com irmãos e jiu-jitsu! 'Queridinha de Dana White' revela inspiração para lutar

No dia 27 de agosto de 2016, Cynthia Calvillo fez a sua estreia no MMA profissional e saiu com o braço erguido após belo nocaute. E, desde então, a atleta não parou. Em apenas oito meses, a americana se apresentou em três oportunidades, venceu todas, foi contratada pelo Ultimate e participou dos dois últimos eventos numerados da organização, onde acumulou mais triunfos. Com os holofotes voltados para si depois de uma rápida ascensão, a especialista em jiu-jitsu garante que não sente pressão e que a resposta para tudo é o trabalho duro executado na equipe ‘Team Alpha Male’.

Com apenas oito meses de experiência profissional no MMA, Cynthia é dona de uma confiança que nem alguns veteranos possuem. Mas para a americana, toda essa segurança vem naturalmente uma vez que você está preparado para as adversidades. E, obviamente, fazer parte da Team Alpha Male contribui bastante para manter um alto nível nos treinamentos.

“O time, o treino e a preparação fazem a diferença na confiança. Se você trabalhar duro, você não precisa se preocupar. Sempre digo para meus companheiros de treino, quando eles têm alguma luta, que não vou lhes desejar boa sorte, porque sorte é para quem não treina. Enquanto você estiver preparado, você estará confiante. Nós treinamos em uma das melhores equipes do mundo”, declarou em conversa com a reportagem da Ag. Fight.

Aos 29 anos de idade, Cynthia começou nas artes marciais treinando jiu-jitsu antes de migrar para o MMA. E, surpreendentemente, a americana não possuía nenhuma experiência em lutas ou qualquer outro esporte. A inspiração para dar início a carreira veio da Arte Suave e até mesmo das brigas que tinha com os irmãos quando criança.

“Eu comecei a treinar jiu-jitsu cerca de seis anos e meio, sete anos atrás. E foi algo muito natural para mim o jiu-jitsu e o grappling. Acho que eu sou meio forte e foi tudo natural. Eu posso rolar com meus olhos fechados, eu amo. Quando comecei eu tinha 23 anos de idade e não tinha nenhum experiência em artes marciais e nem em outros esportes. Muitas pessoas me perguntam se eu já praticava esportes. Eu apanhava dos meus irmãos, basicamente”, contou.

Contratada pelo Ultimate este ano, a atleta participou dos eventos de números 209 e 210 em um espaço de pouco mais de um mês. No último sábado (8), a americana finalizou Pearl Gonzalez e alcançou a quinta vitória na carreira. E a ascensão meteórica de Cynthia chamou a atenção de ninguém menos que o presidente do UFC, Dana White, que já deixou claro que é fã da lutadora.

“Quando eu conheci o Conor McGregor, eu pensei na hora, ‘não sei se esse cara sabe lutar, mas se ele conseguir soltar um soco será um rockstar’. Quando eu conheci a Ronda Rousey eu tive uma reunião de 45 minutos com ela e decidimos começar o MMA feminino. E, eu me sinto da mesma forma com essa aqui [Cynthia]. Eu acho que sua performance foi incrível esta noite, adoro o jeito que ela encara a pressão. A primeira vez que ela lutou no UFC ela foi muito bem e nessa noite ela foi contra uma mulher forte, grande, com uma grande envergadura e bastante experiência e ela conduziu da forma que quis. Então, estou muito impressionado com sua performance e sou um fã”, declarou Dana em coletiva de imprensa realizada após o UFC 210.