Briga generalizada ofusca duelo entre Gama e Brasiliense

RADAR / LANCE!
Confusão, que iniciou no campo e se estendeu às arquibancadas, causou fim da partida aos 42 minutos do segundo tempo. Clássico no DF ficou em 1 a 1 neste domingo

A selvageria ofuscou o clássico entre Gama e Brasiliense, neste domingo, no Estádio Bezerrão. A partida estava empatada em 1 a 1, pelo Campeonato Estadual quando, aos 42 minutos do segundo tempo, um desentendimento entre o centroavante Nunes, do Brasiliense, e o lateral Dudu Gago, do Gama, provocou uma briga entre jogadores e comissões técnicas das duas equipes. A confusão estendeu a uma briga generalizada nas arquibancadas e até fora do estádio, fazendo com que o árbitro optasse por encerrar a partida.

Em jogo acirrado, Roberto Pitio abrira o placar para os donos da casa, enquanto o veterano Reinaldo, que atuou por Flamengo, São Paulo e Botafogo, igualara para o Brasiliense. Porém, a rispidez da partida ficou explícita de vez ao cinco minutos do fim: após uma cotovelada de Nunes em Dudu Gago, jogadores dos dois clubes foram tirar satisfações e protagonizaram cenas de violência.

Quando a Polícia Militar entraram em campo para conter os ânimos dos jogadores e dos membros das comissões técnicas, a situação ficou ainda mais tensa. Torcedores pularam alambrados e, no momento em que uma faixa do Brasiliense foi arrancada por um torcedor do Gama, houve conflitos também entre organizadas nas arquibancadas.

Passados dez minutos, os policiais controlaram a situação no Estádio Bezerrão. No entanto, o campo já era tomado pelo cheiro forte de gás de pimenta e muitos torcedores já tinham deixado o local com a confusão. Algumas pessoas que estavam na arquibancada chegaram a precisar de atendimento nas ambulâncias Devido ao tumulto, o árbitro Almir Camargo decretou o fim do clássico antes do tempo regulamentar.





E MAIS: