'Brexit' faz times ingleses pedirem isenções para estrangeiros

'Brexit' é a abreviação das palavras em inglês Britain (Grã-Bretanha) e exit (saída). Representa saída do Reino Unido da União Europeia. Na última quarta-feira (28), já aprovado, o processo teve início de fato. Nesta sexta-feira (31), dois dias depois, os donos e executivos dos clubes ingleses se reuniram para reunião sobre o tema.

Representantes dos 20 clubes da Premier League elaboraram, no encontro,  medidas para proteger as equipes inglesas de serem prejudicadas. As equipes pretendem pedir isenção aos estrangeiros, para que o Inglês tendo a atual competitividade e possa continuar contratando atleta de outros países com as mesmas regras da Europa.

"O Campeonato Inglês está ao redor do mundo, se expandindo. Eu não vejo o governo fazendo algo tão insignificante para perturbar isso. Eu não sei sobre a livre circulação de pessoas, mas a estrutura seria que os melhores jogadores iriam receber permissões de trabalho. Isso já está afetando a gente porque os jogadores estão mais caros para comprar por causa da Libra (que se desvalorizou)", disse David Gold, co-presidente do West Ham.

Georginio Wijnaldum, David Silva, Manchester City - Liverpool, Premier League, 03192017

(Foto: Getty Images)

VEJA TAMBÉM:
Sampaoli quer Messi | G. Jesus abandona muletas | Malcom segue de olho no Timão

A Associação de Jogadores, em junho passado, deixou claro que o "Brexit" não iria afetar a forma de contratações dos clubes ingleses. E para reforçar essa posição, Gold relembrou os benefícios que o Campeonato Inglês traz para Inglaterra.

"O Campeonato Inglês é a maior liga que o mundo já conheceu. É uma propaganda fantástica para a Grã-Bretanha, para a Inglaterra. Eu sei que pessoas falam sobre a riqueza que há, mas esses jogadores ganham altos salários e todos os impostos estão indo para o governo. Por que você sufocaria isso? Por que você quer que isso mude?", confirmou ele.

"Nós esperamos que eles incluam (as isenções), mas temos que esperar para ver. Na Europa, nós temos livre circulação e isso irá mudar, ou não. Não sabemos. Eu sou pessimista sobre deixar (a Europa). Nada mudou na minha cabeça. Tenho a esperança de que o futebol irá achar uma saída para essa situação", rebateu o dono do Stoke City, Peter Coates.