Brenner ofusca Ceni e dá vitória ao São Paulo sobre o Flamengo na Copa do Brasil

LUCIANO TRINDADE
·3 minuto de leitura
RIO DE JANEIRO, RJ, 11.11.2020 – FLAMENGO-SÃO PAULO: Partida entre Flamengo e São Paulo, válida pela primeira partida das quartas de finais da Copa do Brasil 2020, realizada no estádio Maracanã, no Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira (11). (Foto: Alexandre Neto/Photo Press/Folhapress)
RIO DE JANEIRO, RJ, 11.11.2020 – FLAMENGO-SÃO PAULO: Partida entre Flamengo e São Paulo, válida pela primeira partida das quartas de finais da Copa do Brasil 2020, realizada no estádio Maracanã, no Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira (11). (Foto: Alexandre Neto/Photo Press/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na estreia de Rogério Ceni pelo Flamengo, Brenner foi quem roubou a cena na importante vitória do São Paulo por 2 a 1 sobre a equipe carioca nesta quarta-feira (11), no Maracanã, pela ida das quartas de final da Copa do Brasil. O atacante marcou os dois gols do time paulista no confronto.

Agora, enquanto os são-paulinos terão a vantagem de jogar pelo empate no jogo de volta, na quarta-feira (18), às 21h30, no Morumbi, os cariocas precisam vencer por dois gols para ficar com a vaga. Vitória por um de diferença levará a decisão da vaga para os pênaltis.

Apesar de ter tido apenas um dia de treino, Ceni optou por fazer mudanças na equipe. A começar pelo gol, posição que ele conhece muito bem e para qual optou pela experiência de Diego Alves, 35, que recuperou a vaga que vinha sendo ocupada pelo jovem Hugo, 21.

Na linha, escalou Vitinho centralizado, para fazer a função de um meia que chega como quarto homem na frente, com Michel aberto na esquerda, Bruno Henrique pela direita e Gabriel centralizado, um esquema que ele costumava adotar no Fortaleza.

Sem a bola, o quarteto pressionava a saída do adversário, o que rendia boas oportunidades, como aos 15 minutos, quando Vitinho deixou Gabigol cara a cara com Volpi, em lance desperdiçado pelo atacante.

A postura se assemelhava à tática usada pelo português Jorge Jesus, o antecessor de Domènec Torrent, técnico catalão demitido antes da chegada de Ceni.

Durante mais da metade da etapa inicial, somente o Flamengo finalizou. Aos 26, os cariocas chegaram a ter um gol anulado pelo VAR (árbitro de vídeo), em impedimento de Gabriel.

Em outra oportunidade, o camisa 9 também parou nas mãos de Volpi, assim como Bruno Henrique e Vitinho.

Apesar de um primeiro tempo pouco produtivo, a equipe paulista saiu na frente do placar, logo no primeiro minuto da segunda etapa, com Brenner. A resposta flamenguista veio aos 3, quando Bruno Henrique passou para Gabriel marcar o empate.

Aos 8 minutos, Ceni foi forçado a fazer uma importante mudança. Machucado, o goleiro Diego Alves teve de deixar o campo, e Hugo voltou ao time.

A postura das duas equipes também se modificou. O São Paulo passou a criar mais chances e exigiu duas boas defesas de Hugo, enquanto o Flamengo já não pressionava mais na frente, mas ainda levava perigo em jogadas de velocidade.

Aos 42 minutos, o São Paulo chegou ao segundo gol, agora com Brenner, após erro do goleiro Hugo, que tentou driblar o atacante.

O sobrevivente deste confronto enfrentará nas semifinais o vencedor do duelo entre Grêmio e Cuiabá. Nesta quarta, o time gaúcho venceu o jogo de ida por 2 a 1, fora de casa. Na outra chave, o Internacional perdeu do América-MG, por 1 a 0, enquanto o Palmeiras ganhou do Ceará, por 3 a 0.

FLAMENGO

Diego Alves (Hugo Souza); Matheuzinho, Gustavo Henrique, Léo Pereira e Renê; Willian Arão, Gerson e Vitinho (Pedro Rocha); Michael (Arrascaeta), Bruno Henrique e Gabriel Barbosa (Thiago Maia). T.: Rogério Ceni

SÃO PAULO

Tiago Volpi; Juanfran, Diego Costa, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Daniel Alves, Gabriel Sara e Igor Gomes (Vitor Bueno); Luciano (Pablo) e Brenner (Léo). T.: Fernando Diniz

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Anderson Daronco (Fifa-RS)

Assistentes: Rafael da Silva Alves (Fifa-RS) e Michael Stanislau (RS)

VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Cartão amarelo: Reinaldo (SAO)

Gols: Brenner (SAO), ao 1min e aos 42min, e Gabriel Barbosa (FLA), aos 3min do 2ºT